Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 08 de dezembro de 2018.
Dia da Família.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

governo federal

08/12/2018 - 13h50min. Alterada em 08/12 às 13h52min

Temer convoca reunião para discutir intervenção federal em Roraima

O presidente Michel Temer determinou a intervenção federal no estado de Roraima até o fim do ano

O presidente Michel Temer determinou a intervenção federal no estado de Roraima até o fim do ano


Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil/Divulgação/JC
Estadão Conteúdo
A intervenção federal em Roraima será discutida na tarde deste sábado, às 16h00, em reunião no Palácio da Alvorada. O presidente Michel Temer chamou os conselhos da República e de Defesa Nacional para o encontro.
Conforme informa o jornal O Estado de S. Paulo em sua edição de hoje, Temer decretou intervenção federal no Estado após uma reunião de emergência convocada na noite de sexta-feira, na qual se discutiu a greve dos agentes penitenciários e da Polícia Militar. O interventor será o governador eleito, Antonio Denarium, do PSL, mesmo partido do presidente eleito, Jair Bolsonaro. A intervenção foi decretada com o conhecimento dele. Denarium substituirá a atual governadora, Suely Campos (PP).
Uma das medidas discutida na sexta foi a liberação de um crédito extraordinário para pagar despesas em atraso do Estado, como salários de servidores e pagamentos a fornecedores. O valor será entre R$ 150 milhões e R$ 200 milhões. Temer deverá editar uma Medida Provisória para liberar o dinheiro. A primeira parcela será de R$ 23 milhões.
A intervenção em Roraima é mais ampla do que a realizada no Rio de Janeiro, Estado em que a União assumiu o comando da segurança pública e que também tem duração até 31 de dezembro. No Rio, a medida começou em 16 de fevereiro deste ano. Neste período, o Congresso fica impedido de votar Propostas de Emenda à Constituição (PEC).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia