Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 07 de dezembro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

STF

07/12/2018 - 18h33min. Alterada em 07/12 às 18h33min

Gilmar Mendes solta ex-secretário de Cabral preso na Lava Jato

Gilmar Mendes substituiu a prisão preventiva por três medidas cautelares

Gilmar Mendes substituiu a prisão preventiva por três medidas cautelares


CARLOS MOURA/SCO/STF/JC
Estadão Conteúdo
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, mandou soltar o ex-secretário de Governo do Rio de Janeiro Wilson Carlos, preso desde novembro de 2016 no âmbito da Operação Calicute, desdobramento da Lava Jato.
Wilson Carlos atuou na gestão do ex-governador Sérgio Cabral (MDB), também preso na Lava Jato, e foi acusado de ser o "operador administrativo" do esquema de propinas ajustadas pela empreiteira Andrade Gutierrez em contratos do governo, incluindo os relativos a obras de terraplanagem no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).
O ex-secretário supostamente era responsável pela forma de pagamento e cobrança das vantagens indevidas, afirmou o Ministério Público Federal ao apresentar denúncia.
Gilmar Mendes substituiu a prisão preventiva por três medidas cautelares: a proibição de manter contato com os demais investigados, a proibição de deixar o País e entrega de passaporte, e o recolhimento domiciliar noturno e nos fins de semana e feriados.
O pedido de soltura de Wilson Carlos foi apresentado no processo que analisava o habeas corpus do ex-secretário de Obras de Cabral Hudson Braga, solto em maio por Gilmar Mendes.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia