Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 20 de novembro de 2018.
Dia Nacional da Consciência Negra. Dia Universal das Crianças.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Transição

19/11/2018 - 15h31min. Alterada em 19/11 às 18h24min

Moro anuncia integrantes da Lava Jato na transição de governo

Ex-juiz afirmou que planeja passar os próximos dias em Brasília organizando equipe

Ex-juiz afirmou que planeja passar os próximos dias em Brasília organizando equipe


FABIO RODRIGUES POZZEBOM/ESPECIAL/JC
Folhapress
Futuro ministro da Justiça do governo de Jair Bolsonaro (PSL), o ex-juiz Sergio Moro, exonerado nesta segunda-feira (19), anunciou que levou para o gabinete de transição em Brasília integrantes da Polícia Federal que participaram da Operação Lava Jato, em que ele atuou em Curitiba (PR).
Alguns dos nomes são Rosalvo Franco Ferreira, ex-superintendente regional da Polícia Federal no Paraná, e Erika Mialik Marena, uma das primeiras delegadas a comandar a Lava Jato, tendo inclusive nomeado a operação.
Dessa forma, Moro começa a confirmar os primeiros nomes da sua equipe. Ele já havia dito que contaria com integrantes da Lava Jato, com quem trabalhou e em quem diz confiar, e que pretende criar no Ministério da Justiça o mesmo modelo da Lava Jato, com forças-tarefa para assuntos prioritários.
Moro almoçou com Franco e Marena nesta segunda, em restaurante anexo ao Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, onde funciona o gabinete de transição do governo Bolsonaro. Também estavam à mesa Flávia Blanco, que será sua chefe de gabinete no ministério, e Marcos Koren, ex-chefe de comunicação da superintendência da PF no Paraná.
O próximo nome que o futuro ministro deve confirmar é o do diretor-geral da PF, função hoje ocupada por Rogério Galloro. O mais cotado é Maurício Valeixo, que atualmente é o chefe da polícia do Paraná.
Questionado nesta segunda se anunciaria o novo diretor da PF nesta semana, Moro respondeu que "talvez". Ele também afirmou que planeja passar os próximos dias em Brasília, após ser exonerado pela Justiça Federal.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia