Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 31 de outubro de 2018.
Dia das Bruxas.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

partidos

Edição impressa de 31/10/2018. Alterada em 31/10 às 01h00min

Negociação com Rede fracassa e PPS cogita fusão com DEM

O líder do PPS, deputado Alex Manente (SP), disse ontem que as negociações em torno de uma fusão com a Rede não prosperaram. Segundo interlocutores, em café da manhã com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) ontem, o partido começou a articular uma fusão com o DEM . As duas siglas têm ensaiado uma aproximação com o futuro governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). A maior líder da Rede, Marina Silva, por sua vez, declarou voto no petista Fernando Haddad e deve fazer oposição a Bolsonaro.
 "As conversas de fusão com a Rede não prosperaram. Além da questão legal, que a Rede não atende para realizar a fusão, o partido tem posições diferentes das que defendemos. Grande parte da bancada do PPS entende que não devemos fazer oposição só por fazer, o entendimento é de que é preciso colaborar com o Brasil", disse Alex Manente. Segundo ele, o PPS não será nem base do governo Bolsonaro, nem oposição. Ficará independente e votará caso a caso os projetos que o Palácio do Planalto enviar ao Congresso.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia