Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 24 de outubro de 2018.
Dia das Nações Unidas - ONU.

Jornal do Comércio

Política

CORRIGIR

prefeitura de porto alegre

Alterada em 24/10 às 01h00min

Machado pede exoneração da Secretaria do Planejamento

Paulo de Tarso Pinheiro Machado alegou motivação pessoal

Paulo de Tarso Pinheiro Machado alegou motivação pessoal


/CLAITON DORNELLES /JC
Diego Nuñez
Até então o titular da Secretaria Municipal de Gestão e Planejamento, Paulo de Tarso Pinheiro Machado (PSDB) pediu exoneração do cargo na manhã de ontem. A um dia de completar seis meses no governo Nelson Marchezan Júnior (PSDB), o secretário alegou motivos pessoais para a saída.
O economista participou recentemente da elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA) da cidade para o ano de 2019, que prevê as receitas e despesas para o próximo ano na Capital, calcula déficit de R$ 918 milhões e hoje tramita na Câmara Municipal.
Em nota, o prefeito "lamentou a saída do secretário, mas entendeu suas razões. O chefe do Executivo municipal reconhece a sua competência, dedicação e empenho nas ações da Secretaria e o seu comprometimento com o governo".
Machado continuará na gestão até o final do mês, a pedido de Marchezan, e seu substituto deverá ser anunciado pela equipe do Executivo nos próximos dias. Atualmente, a secretária-adjunta é Maria Leonor Luz Carpes.
Em quase dois anos no Paço Municipal de Porto Alegre, o governo tucano acumula mais de 20 desligamentos no alto escalão na prefeitura - entre titulares de pastas, adjuntos, diretores de companhias e de departamentos e chefes de setores.
Entre elas, Marchezan perdeu oito titulares de secretarias, como o hoje vereador da base do governo, Ricardo Gomes (PP), que deixou a pasta de Desenvolvimento Econômico por divergências quanto ao projeto de revisão da planta de valores do Imposto sobre propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU).
Quem também teve atritos com o prefeito foi seu ex-líder de governo na Câmara Claudio Janta (SD), que chegou a entrar na Justiça contra decisões do chefe de Executivo.
Outra saída marcante foi a de Luís Fernando Ferreira, que deixou a diretoria da Companhia Carris Porto-Alegrense apenas 20 dias após assumir o cargo. A mais recente baixa havia sido a do ex-secretário de Segurança, Kleber Senisse.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia