Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de outubro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Senado

17/10/2018 - 14h26min. Alterada em 17/10 às 14h26min

Renan Calheiros diz que não será candidato à presidência do Senado

Senador alagoano evitou dizer que o MDB deve ter prioridade para presidir o Senado

Senador alagoano evitou dizer que o MDB deve ter prioridade para presidir o Senado


EDILSON RODRIGUES/AGÊNCIA SENADO/JC
Estadão Conteúdo
Reeleito por Alagoas, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) disse nesta quarta-feira (17) que não vai se candidatar à presidência do Senado em 2019, quando começa a próxima legislatura. Calheiros foi presidente da Casa por duas vezes e voltou a ter seu nome ventilado nas últimas semanas em razão do resultado das eleições, quando os senadores mais experientes do Congresso não conseguiram se reeleger.
"É preciso conhecer o que é que vai chegar nas casas. Isso não é um projeto pessoal. A presidência do Senado e do Congresso não é um fim em si mesmo. Já fui quatro vezes candidato à presidência do Senado. Não sou candidato, não vou postular. Hoje, o (site) Antagonista lançou minha candidatura e disse que já tenho 40 votos. Eu não cogito isso. É preciso compreender a complexidade do momento que vive o País. Eu quero colaborar da planície", afirmou ele. "Não vou mudar de ideia, já fui (candidato) quatro vezes."
Calheiros evitou dizer que o MDB deve ter prioridade para presidir o Senado, já que elegeu a maior bancada da Casa para a legislatura que se inicia no ano que vem. "O regimento diz que (a presidência do Senado deve ficar com a maior bancada) na medida do possível. Na medida do possível é quando você tem condições políticas", afirmou.
O senador foi questionado então sobre como avalia o nome da senadora Simone Tebet (MDB-MS) para o posto, já que ela começa a ganhar força, nos bastidores, como alternativa ao próprio Renan. "O Senado não tem escassez de nomes. A senadora Simone Tibet mesmo é um excelente nome. Eu acho que tem que aguardar. Essa discussão não deve ser tratada antes de fevereiro de 2019."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia