Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 16 de outubro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

eleições 2018

Edição impressa de 16/10/2018. Alterada em 16/10 às 01h00min

Haddad sugere convite a Cortella para Educação

O candidato à presidência Fernando Haddad (PT) confirmou ontem, em entrevista à Rádio Bandeirantes, que sugeriu a Mario Sergio Cortella que ocupasse o Ministério da Educação em um eventual governo petista. O candidato também confirmou o diálogo com o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa.
Haddad disse que o ex-ministro Joaquim Barbosa o recebeu em sua casa, em Brasília, para conversarem sobre o momento do País, mas não confirmou nem negou o convite.
Já sobre Cortella, Haddad disse que ele é uma pessoa próxima e que, antes de ser cogitado como candidato, falou a ele que, se tivesse alguma influência, sugeriria o nome dele para a Educação.
Mais tarde, Cortella disse que o presidenciável não o convidou, nem a ninguém, para um eventual ministério. Cortella - autor de livros como Qual é a tua obra? e Viver em paz para morrer em paz - afirmou que, em uma conversa por telefone, o presidenciável disse que seria bom que conversassem sobre o assunto após as eleições.
 

Ciro era a melhor estratégia para ganhar a eleição, afirma Wagner

Coordenador da campanha de Fernando Haddad (PT) à presidência, o ex-governador da Bahia e senador eleito Jaques Wagner (PT) afirmou ontem que a melhor estratégia para uma vitória na corrida presidencial seria o lançamento de Ciro Gomes (PDT) ao Palácio do Planalto.
O ex-governador da Bahia disse ainda ter esperança de uma declaração de apoio mais contundente do pedetista: "Não vou jogar a toalha. Ele pode enviar um live de onde ele estiver", disse o ex-governador em referência ao fato de Ciro estar na Europa.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia