Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 10 de outubro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

eleições 2018

10/10/2018 - 22h07min. Alterada em 10/10 às 22h07min

Rede deverá liberar filiados para decidirem sobre apoio a Haddad ou voto nulo

Estadão Conteúdo
A Rede Sustentabilidade, partido de Marina Silva, deverá bater o martelo em reunião na noite desta quarta-feira (10), para liberar seus filiados a apoiarem Fernando Haddad, do PT, no segundo turno das eleições 2018 ou para decidirem pelo voto nulo O partido, no entanto, deverá anunciar que aqueles que optarem por apoiar Jair Bolsonaro, do PSL, serão punidos.
Fontes da legenda disseram ao Estadão/Broadcast que a decisão será formalizada ainda nesta noite. Os integrantes da Executiva Nacional do partido têm realizado diversas reuniões desde segunda-feira, 8, para tomar uma decisão. De acordo com pessoas próximas a Marina Silva, ela não se sente confortável em apoiar Haddad neste momento devido à forma como o PT a tratou nas eleições de 2014. A forte desconstrução da sua imagem naquela época ainda teve consequências no pleito deste ano, conforme avaliou a campanha.
A ex-senadora também considera que Haddad não é o candidato ideal neste momento porque representa um dos polos da polarização que o País vive.
Marina teve um péssimo desempenho na corrida presidencial deste ano. Ela acabou a disputa em 8º lugar, obtendo pouco mais de 1 milhão de votos, o que corresponde a 1%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia