Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 04 de outubro de 2018.
Dia do Barman e dia Mundial dos Animais.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara de Porto Alegre

Edição impressa de 04/10/2018. Alterada em 04/10 às 01h00min

Vereadores rejeitam impeachment de Marchezan

Diego Nuñez

Os vereadores de Porto Alegre decidiram não abrir um processo de impeachment contra o prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB). Por 18 votos a 16, os parlamentares do Legislativo da capital rejeitaram a denúncia protocolada pelo taxista Paulo Adir Ferreira em 2 de julho deste ano.

Foram contrários os vereadores das bancadas do Pode, PP, PPS, PSD, PSDB, PTB, Rede, a maioria do MDB e metade do DEM. Votaram pela abertura do processo vereadores do PDT, PRB, PSB, PSOL, PT, SD, metade do DEM e um do MDB.

Marchezan foi denunciado por repassar R$ 38.983.681,15 à Companhia Carris Porto Alegrense em 2017 sem prévia autorização do Legislativo. O valor empenhado na empresa foi de R$ 48.783.621,15, enquanto o orçamento para o exercício de 2018 aprovado pela Câmara previa a aplicação de R$ 9,8 milhões.

O principal argumento do governo é que a manutenção dos recursos é amparada na Lei Orçamentária de 2017, que autorizava o Executivo "a abrir créditos suplementares de no máximo 10% do total das despesas autorizada".

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia