Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 17 de setembro de 2018.
Dia do Transportador Rodoviário de Carga.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

Edição impressa de 17/09/2018. Alterada em 16/09 às 20h53min

Reação ao fascismo não obriga a engolir PT, diz Ciro

Em ato em São Paulo, Ciro criticou candidatos do PT e do PSL

Em ato em São Paulo, Ciro criticou candidatos do PT e do PSL


NELSON ALMEIDA/AFP/JC
Em ato de campanha na manhã deste domingo (16) no parque Ibirapuera, em São Paulo, o candidato do PDT à presidência, Ciro Gomes, disse que o povo brasileiro não é obrigado a "engolir as contradições do PT" para derrotar o "fascismo" representado, segundo ele, por Jair Bolsonaro (PSL). Ciro pediu, ainda, que seus eleitores não transfiram sua decisão "para instituto de pesquisa".
Já neste sábado, Ciro se irritou em ato de campanha em Boa Vista (RR), quando questionado por um homem sobre suas manifestações a respeito do conflito na Venezuela e dos brasileiros que agrediram alguns desses estrangeiros. "Ciro, o senhor reafirma o que disse sobre os brasileiros que tiveram aquela manifestação da fronteira, que chamou os brasileiros de canalhas, desumanos e grosseiros?", questionou um homem que se identificava como jornalista no local. O candidato, então, respondeu: "Vá para a casa do Romero Jucá, seu filho da p...". Instantes depois, Ciro diz para sua equipe para tirá-lo dali. "Esse aqui é do Romero Jucá. Tira ele, tira ele", afirmou o candidato, que deu um leve empurrão no homem.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia