Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 12 de setembro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

12/09/2018 - 12h57min. Alterada em 12/09 às 13h00min

Bolsonaro segue em unidade semi-intensiva e alimentação oral foi suspensa

Médicos suspendem alimentação via oral de Bolsonaro após surgimento de uma distensão abdominal

Médicos suspendem alimentação via oral de Bolsonaro após surgimento de uma distensão abdominal


FLAVIO BOLSONARO/TWITTER/DIVULGAÇÃO/JC
Estadão Conteúdo
O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, continua internado em uma unidade semi-intensiva, conforme boletim divulgado na manhã desta quarta-feira (12), pelo Hospital Albert Einstein. De acordo com o boletim, a alimentação oral foi suspensa por causa do surgimento de uma distensão abdominal (inchaço do abdômen provocado por ar e que é consequência da redução do movimento do intestino). Segundo o hospital paulistano, entretanto, trata-se de uma ocorrência normal.
O Albert Einstein acrescentou que a alimentação voltou a ser endovenosa (na veia) até a próxima avaliação. O texto é assinado pelos médicos Antônio Luiz Macedo, Leandro Echenique e Miguel Cendoroglo. Nesta terça-feira (11), o hospital havia informado que o candidato do PSL tinha saído da UTI e passado para uma unidade de cuidado semi-intensivo. O parlamentar também tinha voltado a se alimentar de forma leve.
Jair Bolsonaro foi esfaqueado na última quinta-feira, dia 6, durante evento de campanha em Juiz de Fora (MG). O político está internado hospital Albert Einstein desde a ultima sexta-feira (7). O agressor foi preso.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia