Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 31 de agosto de 2018.
Dia do Nutricionista.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

Alterada em 31/08 às 20h08min

Alvaro Dias defende reintegração sumária em invasão de terras

Alvaro Dias (e) recebeu de Gedeão Pereira (e) pauta de reivindicações da Farsul

Alvaro Dias (e) recebeu de Gedeão Pereira (e) pauta de reivindicações da Farsul


CLAITON DORNELLES /JC
Marcelo Beledeli
Em visita à Expointer nesta sexta-feira (31), o candidato à presidência da República Alvaro Dias (Podemos) procurou mostrar identificação com pautas do campo. Acompanhado da candidata ao Senado Ana Varela e do deputado federal Cajar Nardes, o senador paranaense encontrou-se com dirigentes da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag-RS) e da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), que lhe entregaram propostas voltadas para o setor do agronegócio.
Do presidente da Farsul, Gedeão Pereira, Dias recebeu um documento com 10 pautas que a federação rural espera que sejam priorizadas pelo governante eleito para o próximo mandato. Já o presidente da Fetag, Carlos Joel da Silva, entregou ao senador uma série de reivindicações do segmento da agricultura familiar.
Dias afirmou que o setor agrícola brasileiro é o grande responsável pelo lucro da balança comercial do País, e que as autoridades precisam olhar o campo com mais atenção. O candidato também defendeu a reintegração sumária de posse de terras no caso de invasões. “Os produtores querem segurança jurídica e defesa da propriedade privada como intocável. Exatamente os pressupostos básicos do empreendedorismo”, destacou, afirmando também que a legislação não costuma ser respeitada. 
O senador novamente lembrou de sua bandeira da reforma tributária, e garantiu que, se eleito, vai isentar quem ganha salário de até R$ 5 mil do pagamento de Imposto de Renda (IR). Hoje, o benefício fiscal vale apenas para quem recebe até R$ 1.903,98.
“Com isso, 8 milhões de brasileiros serão beneficiados, o que deve gerar uma renúncia de R$ 1,5 bilhão. No entanto, com menos tributos, a população irá mais condições de consumo, o que faz a economia crescer. A experiência mais mostra que, quando se implanta uma redução tributária, a receita na verdade aumenta, porque a economia cresce mais”, afirmou o candidato. Dia acredita que poderia enviar ao Congresso, ainda nos primeiros meses de seu governo, uma proposta de reforma tributária que reduziria a cobrança de impostos sobre o consumo, concentrando a tributação sobre a renda.
Dias afirmou que o governo brasileiro, atualmente é um “refém do sistema financeiro nacional”, e que essa situação precisa mudar através de reformas. “Temos que liberar crédito para o setor produtivo, fazer um ajuste fiscal, permitir uma melhor administração da dívida pública, e emitir menos títulos públicos, transferindo ao setor privado a capacidade creditícia do País.
O candidato declarou que oferecendo previsibilidade para quem investe, é possível gerar mais de 10 milhões de empregos nos próximos quatro anos. “Podemos fazer a economia crescer em média 5% ao ano, e investir 22% do Produto Interno Bruto (PIB) em setores essenciais, como saúde, educação, infraestrutura e pesquisa”, disse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia