Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 29 de agosto de 2018.
Dia Nacional do Combate ao Fumo.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

eleições 2018

Edição impressa de 29/08/2018. Alterada em 29/08 às 01h00min

Presidenciáveis declaram cabeças de gado e micro-ônibus ao TSE

Folhapress
Após a decisão da Justiça Eleitoral que obrigou os candidatos a especificar suas declarações de patrimônio, presidenciáveis entregaram mais detalhes sobre seus bens nos últimos dias.
No registro da candidatura do ex-presidente Lula (PT), por exemplo, agora constam informações sobre suas propriedades, como localização e data de aquisição. Ele declarou à Justiça Eleitoral R$ 179,3 mil como crédito a ser recebido relativo ao rompimento, em 2015, de um acordo com a Bancoop, cooperativa que construiu o condomínio onde fica um tríplex de Guarujá (SP).
O petista sustenta que pagou cotas por um apartamento nesse empreendimento e que desistiu do negócio. A Justiça Federal, porém, o condenou por corrupção e lavagem porque considerou que a empreiteira OAS reservou o tríplex a ele no prédio sem que tivesse qualquer intenção de cobrar pelo imóvel. Por causa dessa condenação, ele deve ser barrado da eleição.
Na lista de bens de Lula também consta parte de um terreno localizado no sítio Engenho da Serra, em São Bernardo do Campo (SP), adquirido em 2016. A propriedade é estimada em R$ 530 mil. Ele possui um patrimônio avaliado em quase R$ 8 milhões.
Principal concorrente do petista, Jair Bolsonaro (PSL) declarou patrimônio de R$ 2,3 milhões, o que inclui cinco imóveis no Rio de Janeiro e em Brasília, e quatro veículos, sendo dois microônibus Mercedes Benz. Esses dois veículos têm valor estimado, respectivamente, de R$ 141 mil e de R$ 89 mil.
O candidato do PSL também afirma possuir cotas de uma empresa chamada Bolsonaro Digital Ltda.
Outro "empresário" na disputa presidencial é o tucano Geraldo Alckmin, que declarou R$ 24 mil em capital social na empresa Humanitas Fórum, Palestras & Cultura.
Além de glebas de terra em Pinhamonhagaba, cidade no interior de São Paulo onde nasceu, ele declarou possuir 26 cabeças de gado com valor somado de R$ 48,8 mil. Seus bens totalizam R$ 1,4 milhão.
Ciro Gomes (PDT) declarou um total de patrimônio de R$ 1,7 milhão, sendo R$ 25 mil em um escritório de advocacia. A declaração de Alvaro Dias (Podemos) traz como bem de maior valor uma participação de R$ 1,4 milhão na empresa Cad Trade Empreendimentos Imobiliários.
As declarações dos dois presidenciáveis mais ricos, João Amoêdo (Novo) e Henrique Meirelles (MDB), ainda não estão detalhadas.
O TSE havia reduzido a transparência sobre a declaração de patrimônio dos candidatos neste ano, já que passou a não divulgar o detalhamento das propriedades, apenas o tipo de bem. O tribunal decidiu, posteriormente, exigir dos candidatos mais informações, que estão sendo gradualmente publicadas no site da corte.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia