Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 03 de agosto de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

Edição impressa de 03/08/2018. Alterada em 03/08 às 01h00min

Presidenciáveis têm até dia 5 para oficializar vice

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determina que a escolha dos candidatos, vices incluídos, e a decisão sobre alianças devem ser oficializadas pelos partidos até a próxima segunda-feira. A lei eleitoral estabelece que as chapas completas devem ser referendadas no período das convenções - de 20 de julho a 5 de agosto -, com o nome do candidato e do vice publicados em até 24 horas depois do prazo, ou seja, em 6 de agosto.
O texto contraria a previsão inicial da maior parte dos partidos, que avaliavam poder esperar até o dia 15 de agosto, prazo final para o registro das chapas, para fazer a escolha dos nomes. "A escolha dos candidatos pelos partidos e a deliberação sobre coligações deverão ser feitas no período de 20 de julho a 5 de agosto do ano em que se realizarem as eleições, lavrando-se a respectiva ata em livro aberto, rubricado pela Justiça Eleitoral, publicada em 24 horas em qualquer meio de comunicação", diz a lei eleitoral.
A determinação do TSE é observada com atenção pelas principais campanhas, que ainda não definiram os nomes que ocuparão o posto de vice em suas chapas. Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT), por exemplo, foram oficializados como candidatos de suas siglas, mas têm dificuldade de encontrar um nome para o posto. "Sabemos que o prazo para a indicação do vice é de 24 horas depois da reunião e da feitura da ata, que será no dia 5 de agosto. Então, temos até o dia 6 para escolher", afirmou o presidente do PDT, Carlos Lupi.
A principal preocupação, porém, se concentra na campanha do PT. O partido pretende lançar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato ao Planalto na convenção da sigla, no sábado, mas não indicaria um vice para o petista. A ordem era do próprio Lula, que avaliava que a nomeação para a vaga poderia ser entendida como um possível plano B do PT caso ele seja impedido de concorrer. A programação do PT é deixar a escolha para o dia 15 de agosto, prazo final para o registro das chapas.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia