Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 23 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

23/07/2018 - 11h01min. Alterada em 23/07 às 11h04min

Sem unidade na esquerda, Manuela D'Ávila diz que seguirá candidata

Brazil's presidential pre-candidate for the Communist Party (PCdoB) and state deputy Manuela d'Avila, delivers a speech to supporters of Brazilian ex-president and founder of the Workers' Party, Luiz Inacio Lula da Silva, during a May Day commemoration rally, at the Santos Andrade square in Curitiba, Brazil, on May 1, 2018. 
Brazilian prosecutors have filed new graft charges against Lula and Senator Gleisi Hoffmann, along with former Lula government ministers Antonio Palocci and Paulo Bernardo, of being handed a $40 million slush fund by corruption-riddled construction giant Odebrecht. / AFP PHOTO / Heuler Andrey

Brazil's presidential pre-candidate for the Communist Party (PCdoB) and state deputy Manuela d'Avila, delivers a speech to supporters of Brazilian ex-president and founder of the Workers' Party, Luiz Inacio Lula da Silva, during a May Day commemoration rally, at the Santos Andrade square in Curitiba, Brazil, on May 1, 2018. Brazilian prosecutors have filed new graft charges against Lula and Senator Gleisi Hoffmann, along with former Lula government ministers Antonio Palocci and Paulo Bernardo, of being handed a $40 million slush fund by corruption-riddled construction giant Odebrecht. / AFP PHOTO / Heuler Andrey


Heuler Andrey/AFP/JC
Folhapress
A pré-candidata do PC do B à Presidência da República, Manuela D'Ávila, afastou nesta segunda-feira (23) a possibilidade de sair da disputa. Em conversa com jornalistas em Aracaju, ela declarou que o apelo da sigla pela união dos partidos de esquerda não se concretizou.
"Ao que tudo indica, nosso apelo pela unidade não está tendo êxito. Então, o que posso eu fazer se não receber com muita honra o desafio que me foi lançado pelo meu partido e que creio tem sido exitoso", disse Manuela.
Neste domingo (22), o PC doB aprovou uma resolução pedindo a união dos partidos de esquerda já no primeiro turno em resposta à adesão do centrão à candidatura do tucano Geraldo Alckmin.
Ao lado do prefeito da capital sergipana, Edvaldo Nogueira, ela comparou a relação do partido com o PT no estado a de irmãos, citando como um exemplo do que o PC do B entende como unidade. "Unidade não é quando um partido se coloca como o grande partido diante dos outros, mas quando os outros partidos podem construir um projeto político comum. Nós estamos tentando fazer isso", afirmou.
Ao ser questionada sobre o encontro do partido com a presidente nacional do PT, a senadora Gleisi Hoffmann, a presidenciável disse que o TSE tem dado sinais de que reconhecerá o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato e negou que o partido esteja disputando votos do petista.
"Nós não disputamos o legado do ex-presidente Lula porque nós o reconhecemos como um candidato legítimo de um partido historicamente aliado nosso, que é o PT. Ao que tudo indica, o Tribunal Superior Eleitoral também reconhecerá essa candidatura e ele disputará as eleições até o seu término", declarou.
A convenção que vai oficializar a candidatura de Manuela D'Ávila será em 1 de agosto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia