Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de julho de 2018.
Dia do Comerciante .

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

eleições 2018

Notícia da edição impressa de 16/07/2018. Alterada em 16/07 às 01h00min

Tucano tenta convencer PSB a ficar neutro na disputa nacional

Com a proximidade de uma definição sobre o rumo do PSB na eleição presidencial, o pré-candidato Geraldo Alckmin (PSDB) se reuniu neste domingo com seu principal aliado no partido, o governador de São Paulo, Márcio França (PSB). O tucano já não tem expectativa de obter o apoio da sigla a essa altura da pré-campanha, mas vem atuando para que o PSB opte pela neutralidade na disputa nacional.
O encontro de Alckmin com França deu-se num momento em que a sigla caminha para uma decisão. Uma reunião definitiva do partido poderá ocorrer até o fim desta semana.
O PSB está dividido entre três alternativas: apoiar um candidato do PT, Ciro Gomes (PDT) ou ficar neutro. Até uma semana atrás, havia uma inclinação por uma aliança com Ciro. Entretanto, após pressão do grupo que comanda o partido em Pernambuco, alinhado ao PT, a tese pró-Ciro perdeu força. Uma parceria com o pedetista continua sendo discutida mas sem tanto favoritismo. A mudança de cenário foi comemorada pela campanha de Geraldo Alckmin.
O PSB tem o sexto maior tempo de TV no horário eleitoral. Para que seu plano se concretize, Alckmin depende que a ala paulista do PSB insista na tese da neutralidade na eleição nacional.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia