Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 02 de julho de 2018.
Dia do Bombeiro Brasileiro.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

investigação

Notícia da edição impressa de 02/07/2018. Alterada em 02/07 às 01h00min

Testemunha diz que ex-secretário mandou 'triturar documentos'

Ao decretar a prisão preventiva do ex-secretário de Transportes e Logística Laurence Casagrande Lourenço, a juíza Maria Isabel do Prado, da 5ª Vara Federal Criminal de São Paulo, citou o depoimento de uma testemunha que revelou supostas ordens para "triturar documentos". O ex-chefe da pasta, que chegou a presidir a Dersa, é alvo da Operação Pedra no Caminho, investigação sobre desvios de R$ 600 milhões do Rodoanel Norte. A magistrada ordenou também a custódia por tempo indeterminado do ex-diretor da Dersa Pedro da Silva.
Na decisão, a juíza cita o depoimento de uma testemunha "que trabalhou como secretária pessoal de Laurence Casagrande por sete anos até sua exoneração, em 2018".
"Revelou que o investigado determinou que documentos fossem triturados ou o fez pessoalmente", relata Maria Isabel do Prado. Segundo a juíza, Pedro da Silva "figurou como um dos principais e mais influentes integrantes da organização criminosa no cargo de diretor de Engenharia da Dersa, somente subordinado a Laurence Casagrande". 
A magistrada ainda justifica a prisão preventiva: "Não obstante a ciência sobre as investigações em curso, conforme divulgadas pela imprensa antes da deflagração das medidas de busca e apreensão e prisões, os investigados não se afastaram de cargos e funções públicas, sendo Laucence, até o dia do cumprimento das medidas, presidente da Cia Energética de São Paulo".
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia