Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de novembro de 2021.
Porto Alegre,
quarta-feira, 17 de novembro de 2021.

Opinião

Compartilhar

Artigo

- Publicada em 20h00min, 16/11/2021.

Novembro Azul e a retomada da Urologia

Luciano Zuffo
A conscientização sobre o câncer de próstata - pauta que ganha força neste mês por conta da campanha Novembro Azul - tem uma extrema relevância em meio à pandemia da Covid-19. Enquanto as atenções da população se voltaram para os protocolos de distanciamento social, observamos a queda no número de atendimentos e consultas preventivas em diversas especialidades médicas, incluindo a Urologia. Empreender na área da saúde nunca foi tão desafiador como no período de março do ano passado até hoje, mas com a experiência adquirida e ações diretas para gerar mais visibilidade a retomada já se faz realidade. Neste contexto, o mercado da saúde teve de absorver, compreender e confrontar diferentes fatores e suas consequências. Inicialmente, o desafio da gestão foi manter uma sustentabilidade nas finanças capaz de segurar a queda nos atendimentos - afinal, há um custo elevado com insumos, equipamentos e profissionais quando nos referimos ao dia a dia médico. Do mesmo modo, mostrou-se necessário o investimento em adaptar as salas de espera, otimizar o agendamento online e mais ações que passem segurança ao paciente, em sintonia com uma atualização de práticas mirando um universo cada vez mais digital. No caso do Grupo São Pietro Saúde, os meses iniciais de pandemia representaram uma diminuição de cerca de 60% no número de atendimentos de Urologia, e só neste segundo semestre de 2021 que voltamos a uma normalidade neste sentido, com dados novamente positivos. Se o cenário era visto como delicado para as empresas do setor, acredite: o impacto na saúde da população é ainda mais grave, pois a falta de prevenção em especialidades médicas tem um reflexo perigoso a médio e longo prazos. Em âmbito nacional, o Ministério da Saúde registrou a queda de 55% das consultas de rotina e de 38% das biopsias de próstata, desse modo, projetando também um aumento médio de aproximadamente 22% de casos mais graves de cânceres. Conforme avança a vacinação e a pandemia da Covid-19 dá sinais de encaminhamento para seu fim, é fundamental que a população retome seus check-ups em hospitais e clínicas especializadas. Nesse sentido, campanhas como o Novembro Azul desempenham um papel relevante para que a área da saúde como um todo tenha a visibilidade necessária na mídia e no dia a dia das pessoas. Quando falamos de saúde, a sustentabilidade e o crescimento do mercado acontecem ao mesmo passo da melhora na qualidade de vida da população.
A conscientização sobre o câncer de próstata - pauta que ganha força neste mês por conta da campanha Novembro Azul - tem uma extrema relevância em meio à pandemia da Covid-19. Enquanto as atenções da população se voltaram para os protocolos de distanciamento social, observamos a queda no número de atendimentos e consultas preventivas em diversas especialidades médicas, incluindo a Urologia. Empreender na área da saúde nunca foi tão desafiador como no período de março do ano passado até hoje, mas com a experiência adquirida e ações diretas para gerar mais visibilidade a retomada já se faz realidade. Neste contexto, o mercado da saúde teve de absorver, compreender e confrontar diferentes fatores e suas consequências. Inicialmente, o desafio da gestão foi manter uma sustentabilidade nas finanças capaz de segurar a queda nos atendimentos - afinal, há um custo elevado com insumos, equipamentos e profissionais quando nos referimos ao dia a dia médico. Do mesmo modo, mostrou-se necessário o investimento em adaptar as salas de espera, otimizar o agendamento online e mais ações que passem segurança ao paciente, em sintonia com uma atualização de práticas mirando um universo cada vez mais digital. No caso do Grupo São Pietro Saúde, os meses iniciais de pandemia representaram uma diminuição de cerca de 60% no número de atendimentos de Urologia, e só neste segundo semestre de 2021 que voltamos a uma normalidade neste sentido, com dados novamente positivos. Se o cenário era visto como delicado para as empresas do setor, acredite: o impacto na saúde da população é ainda mais grave, pois a falta de prevenção em especialidades médicas tem um reflexo perigoso a médio e longo prazos. Em âmbito nacional, o Ministério da Saúde registrou a queda de 55% das consultas de rotina e de 38% das biopsias de próstata, desse modo, projetando também um aumento médio de aproximadamente 22% de casos mais graves de cânceres. Conforme avança a vacinação e a pandemia da Covid-19 dá sinais de encaminhamento para seu fim, é fundamental que a população retome seus check-ups em hospitais e clínicas especializadas. Nesse sentido, campanhas como o Novembro Azul desempenham um papel relevante para que a área da saúde como um todo tenha a visibilidade necessária na mídia e no dia a dia das pessoas. Quando falamos de saúde, a sustentabilidade e o crescimento do mercado acontecem ao mesmo passo da melhora na qualidade de vida da população.
Médico urologista e diretor do Grupo São Pietro Saúde
Comentários CORRIGIR TEXTO