Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 26 de março de 2021.
Aniversário de Porto Alegre. Dia do Cacau.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 26 de março de 2021.

Opinião

Compartilhar

artigo

- Publicada em 03h00min, 26/03/2021.

Porto Alegre, 249 anos de muita vida

Gustavo Paim
Há 249 anos, no dia 26 de março de 1772, foi fundada a Freguesia de São Francisco de Porto dos Casais, nome dado em razão dos 60 casais de açorianos que haviam chegado aqui 20 anos antes da fundação oficial. Ao longo de sua abundante história, foi denominada Porto de Viamão, Porto do Dorneles, Nossa Senhora Madre de Deus de Porto Alegre, até passar a se chamar, enfim, Porto Alegre. Da Porto dos Casais de açorianos à Porto de todos nós.
Há 249 anos, no dia 26 de março de 1772, foi fundada a Freguesia de São Francisco de Porto dos Casais, nome dado em razão dos 60 casais de açorianos que haviam chegado aqui 20 anos antes da fundação oficial. Ao longo de sua abundante história, foi denominada Porto de Viamão, Porto do Dorneles, Nossa Senhora Madre de Deus de Porto Alegre, até passar a se chamar, enfim, Porto Alegre. Da Porto dos Casais de açorianos à Porto de todos nós.
Nada mais inclusivo do que a Capital, porque é de todos os gaúchos; mas a sua história também é abundante em contendas. Não por acaso, ostenta em seu brasão o título de Leal e Valerosa recebido do Imperador Dom Pedro II, em razão de seu posicionamento a favor do Império durante a Revolução Farroupilha.
De lá para cá não faltaram controvérsias e acalorados debates, sempre com uma aguerrida participação de lado a lado. Somos, afinal, a capital da democracia participativa. E mais, aqui a palavra maniqueísmo tem nome próprio e é ressignificada como grenalização. E já começa a primeira altercação: quem é o melhor, Inter ou Grêmio? E a Redenção, cerca ou não cerca? E o Cais Mauá, deve ser concedido à iniciativa privada ou não? E o muro da Mauá, fica ou derruba?
As polêmicas não param por aí. O projeto da orla podia ser feito por um urbanista de fora do estado, sem a realização de um concurso público? (Aqui o bom senso venceu e hoje temos nossa Orla revitalizada). E no Pontal do Estaleiro, poderia ter construção de imóveis residenciais? Algumas disputas acabam se regionalizando em bairros, como a pugna entre pubs e alguns moradores do Moinhos de Vento em relação ao Saint Patrick's Day, o famigerado inventário de Petrópolis, ou o Carnaval e as festas na Cidade Baixa.
Aliás, sobre alguns temas parece que nunca chegaremos a uma conclusão, como a melhor localização para o Laçador, a continuidade do Carnaval no Porto Seco e a Carris pública ou privada. Se os conflitos são oportunidades para crescer e aprender, bom, então nossa Capital já deve ser PhD. Mas também temos alguns consensos, como o de que o pôr do sol do Guaíba é o mais bonito do mundo e que Porto Alegre é de todos nós. É a Capital de todos e que a todos encanta. Parabéns, Porto Alegre, pelos seus 249 anos de intensa e próspera existência.
Advogado, professor e doutor em Direito. ex-vice-prefeito de Porto Alegre (PP)
 
Comentários CORRIGIR TEXTO