Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021.
Dia da Criação do Ministério das Comunicações.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021.

Opinião

Compartilhar

artigo

- Publicada em 03h00min, 25/02/2021.

Ensino presencial ou ensino a distância?

Cláudio Seferim
A modalidade presencial de ensino - "A Velha Escola" - é uma instituição milenar, confiável. Desde que surgiu, apesar das falhas e defeitos, atua com alto grau de comprometimento, para ensinar e qualificar. São indiscutíveis, a sua credibilidade e a sua contribuição, para o progresso da Ciência e o bem da humanidade, através dos gênios, cientistas, inventores e outros profissionais, que ela habilitou e qualificou.
A modalidade presencial de ensino - "A Velha Escola" - é uma instituição milenar, confiável. Desde que surgiu, apesar das falhas e defeitos, atua com alto grau de comprometimento, para ensinar e qualificar. São indiscutíveis, a sua credibilidade e a sua contribuição, para o progresso da Ciência e o bem da humanidade, através dos gênios, cientistas, inventores e outros profissionais, que ela habilitou e qualificou.
O mesmo não pode ser afirmado, em relação à modalidade de ensino a distância, "oferecida" por muitas "instituições" privadas de ensino, no Brasil. Até o momento, não se conhece ou não foi divulgada, de forma contundente, alguma contribuição relevante, desta modalidade ou de algum egresso dela, para o enriquecimento da Ciência. O que elas divulgam, de forma enfática, na mídia, são os baixos valores das mensalidades dos seus cursos de graduação.
Os "teóricos" e os "pensadores de plantão" tratam a modalidade de ensino a distância como "A Nova Escola". Sem nenhum critério científico, afirmam: ela é "a bala de prata" para os problemas da Educação. Então, o "senso comum" passou a acreditar que o ensino a distância é a "solução mágica", "milagrosa", para resolver todos os problemas da Educação.
"A Nova Escola" surgiu, oficialmente, no meio do século passado, então não é tão nova. Portanto, a sua contribuição, neste período, deveria ter sido mais relevante e significativa, para a Ciência. Isso, comprovadamente, não aconteceu. Portanto, sua credibilidade, sua qualidade de ensino e pesquisa, são no mínimo, duvidosas.
A "Nova Escola" tenta deslocar a sala de aula para o ambiente externo e, na última década, "proliferou-se" de forma rápida, no Brasil. A cada dia, surge uma "Faculdade" ou "Centro universitário" a distância, numa "esquina" qualquer. A pandemia é ótima para esta proliferação, que será nefasta, para a formação acadêmica. A "Nova Escola" está contribuindo para "habilitar" profissionais de qualidade duvidosa. Muitas "instituições" privadas, de ensino a distância, habilitam, mas não qualificam. Isto compromete a qualidade da formação profissional e o futuro do País.
Brevemente teremos "Graduação a distância" ao custo mensal de R$ 1,99.
Professor da rede federal de ensino
 
Comentários CORRIGIR TEXTO