Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021.

Opinião

Compartilhar

artigo

- Publicada em 03h00min, 22/02/2021.

A herança da imigração italiana

Filipe Panizzon
Quem já visitou a Serra Gaúcha e teve a oportunidade de conhecer algumas de nossas vinícolas, não consegue deixar de notar o nosso orgulho pelas nossas raízes. A história de muitas vinícolas é contada com tanta paixão como se fosse a história da própria família, porque ambas, muitas vezes, se misturam e se confundem.
Quem já visitou a Serra Gaúcha e teve a oportunidade de conhecer algumas de nossas vinícolas, não consegue deixar de notar o nosso orgulho pelas nossas raízes. A história de muitas vinícolas é contada com tanta paixão como se fosse a história da própria família, porque ambas, muitas vezes, se misturam e se confundem.
Muito (ou quase tudo) do que nós somos hoje é fruto das sementes plantadas por mãos calejadas e corações corajosos, de homens e mulheres que saíram da Itália para buscar melhores condições de trabalho em terras desconhecidas.
No Rio Grande do Sul os imigrantes italianos receberam a região da Serra, a de mais difícil acesso, para se estabelecerem e iniciarem a dura lida em busca do progresso. As dificuldades não foram maiores que os sonhos e os esforços daqueles trabalhadores do campo, já acostumados com uma vida de muito trabalho.
Com o suor e garra, aos poucos foram colonizando, prosperando e valorizando a região, trazendo seus costumes, cultura e formas de trabalho com o cultivo de milho, trigo, da uva e sua tradição na produção de vinho. Hoje, a Serra Gaúcha é uma das regiões mais bem desenvolvidas do Estado, referência em enoturismo e também responsável por colocar o Brasil em evidência para o mundo, com a produção de vinhos de excelente qualidade.
E se nós chegamos aonde estamos hoje é porque os valores do trabalho duro, esforço e dedicação, a verdadeira herança dos imigrantes italianos, foram passados de geração em geração. Assim como seus costumes e tradições: o gosto por um bom vinho e uma mesa farta, a valorização da família e amigos, o cultivo da fé, muita alegria e acolhimento. Essas são as verdadeiras heranças que temos de nossos antepassados, heranças que o dinheiro não pode desfazer, pois estão guardadas no coração.
E talvez por guardarmos em nosso coração, é que contamos com tanto amor a história de nossas empresas, de nossas famílias, de nossa região. É que temos tanto orgulho de comemorar o Dia Nacional do Imigrante Italiano (21/2) e homenagear esse povo que nos deixou tantos tesouros. Quando um turista vem à Serra, ele conhece mais do que pontos turísticos, vinícolas e vinhedos, ele faz um mergulho à nossa cultura, é um convidado de nossa casa. E podemos compartilhar com ele um pouco dessa tradição, recebendo-o com o que temos de melhor: muita alegria, comida e vinho!
Presidente da Associação dos Produtores de Vinhos dos Altos Montes
 
Comentários CORRIGIR TEXTO