Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 01 de fevereiro de 2021.
Dia do Publicitário.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 01 de fevereiro de 2021.

Opinião

Compartilhar

artigo

- Publicada em 16h16min, 01/02/2021.

Pequena síntese da conjuntura econômica

Carlos H. Furlan
A crise da Covid-19 mostrou a nudez da dependência do País ao exterior e o sucateamento da nossa indústria. Enquanto focam nas vacinas, o País é leiloado por corretores de imóveis, irresponsáveis a preço de irrisórios, com os políticos totalmente desligados, a imprensa aplaudindo e os militares esquecendo o juramento que fizeram à bandeira. Fatores que influenciam o custo Brasil: valor do dólar, mão de obra, juros, impostos, preço da energia elétrica, dos derivados do petróleo etc. Os derivados são vendidos a preço de paridade de importação e não de realização da Petrobras por orientação de seu presidente. Que faz o que quer como dono de tudo.
A crise da Covid-19 mostrou a nudez da dependência do País ao exterior e o sucateamento da nossa indústria. Enquanto focam nas vacinas, o País é leiloado por corretores de imóveis, irresponsáveis a preço de irrisórios, com os políticos totalmente desligados, a imprensa aplaudindo e os militares esquecendo o juramento que fizeram à bandeira. Fatores que influenciam o custo Brasil: valor do dólar, mão de obra, juros, impostos, preço da energia elétrica, dos derivados do petróleo etc. Os derivados são vendidos a preço de paridade de importação e não de realização da Petrobras por orientação de seu presidente. Que faz o que quer como dono de tudo.
Não se vê nenhum político, senador, deputado, governador se manifestar. Só pensam no seu mandato e na sua reeleição. A política de vender os derivados pelo preço de paridade de importação não tem lógica, pois temos petróleo no Brasil sendo extraído por real, só estão visando o lucro para os acionistas, e possibilitando a importação de derivados por concorrente da Petrobras, fazendo com que nossas refinarias refinem menos que podem 75%, e obrigando o povo a pagar derivado a valor exorbitante, aumentado o custo Brasil.
Quem comprar as refinarias vai manter o preço paridade de importação, pois visará o lucro máximo e não o desenvolvimento da Nação, e o custo Brasil relativo aos derivados não terá volta, 50% da energia do País depende do petróleo. Função das estatais não é visar o lucro simplesmente e sim serem as locomotivas do País.
O presidente das Petrobras hibernou as fábricas de fertilizantes no Paraná e na Bahia e, com isso, somos dependentes do exterior prejudicando o PIB. Alegaram que tinham que vender as refinarias para haver concorrência, o que é uma mentira, uma vez que quem comprar estará comprando o mercado e vai colocar o preço nos derivados que quiser, pois consta no contrato de venda.
Petroleiro aposentado da Refap
Comentários CORRIGIR TEXTO