Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 16 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 16 de outubro de 2020.

Opinião

Compartilhar

artigo

- Publicada em 03h00min, 16/10/2020.

Outubro Rosa: inteligente é se cuidar e se tratar

Francine Hickmann Nyland
Estamos no Outubro Rosa e, neste ano, mais do que nunca, precisamos ressaltar a importância da realização do autoexame e dos exames de rotina. Desde o início da pandemia, mais de 62% das mulheres postergaram suas consultas com ginecologistas ou mastologistas, segundo pesquisa realizada em setembro pelo Ibope Inteligência. Esse número, além de elevado, é assustador.
Estamos no Outubro Rosa e, neste ano, mais do que nunca, precisamos ressaltar a importância da realização do autoexame e dos exames de rotina. Desde o início da pandemia, mais de 62% das mulheres postergaram suas consultas com ginecologistas ou mastologistas, segundo pesquisa realizada em setembro pelo Ibope Inteligência. Esse número, além de elevado, é assustador.
Por outro lado, felizmente, a pandemia trouxe também o avanço da telemedicina, permitindo que as consultas médicas sejam realizadas de casa.
Além disso, os profissionais e as instituições de saúde estão seguindo rigorosamente as medidas de segurança e prevenção. Ou seja, é seguro buscar acompanhamento e tratamento médico.
O câncer de mama é o tumor que mais acomete as brasileiras, sendo que o risco médio de qualquer mulher desenvolvê-lo ao longo da vida é de uma em cada dez. A boa notícia é que nos últimos anos, tivemos avanços inquestionáveis nos tratamentos.
As cirurgias estão menos agressivas, as técnicas de reconstrução mamária mais sofisticadas, os diagnósticos mais precisos e as terapias sistêmicas, como quimioterapia, hormonioterapia e imunoterapia, cada vez menos tóxicas e mais efetivas. Tudo isso contribui para diminuir os danos causados pela doença que interfere diretamente na autoestima da mulher.
Queda de cabelo, olhar abalado sobre si mesma e autoestima fragilizada são condições que acompanham muitas pacientes com câncer de mama. Enquanto não pudermos diminuir radicalmente a incidência do tumor, podemos lançar um outro olhar sobre a mulher neste momento: mais empático, mais humano, de cuidado e de reparação.
Precisamos falar de saúde feminina. E, nós, mulheres, temos que entender a importância do autocuidado num sentido mais amplo: preservar a saúde psíquica, manter uma rotina de exames e adotar um estilo de vida mais saudável. Este é o momento de lembrar que é inteligente se cuidar, é corajoso se tratar e é bonito se amar.
Médica mastologista do Hospital Ernesto Dornelles
Comentários CORRIGIR TEXTO