Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 09 de outubro de 2020.
Dia Mundial dos Correios.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 09 de outubro de 2020.

Opinião

Compartilhar

artigo

- Publicada em 19h11min, 09/10/2020.

Por que as empresas estão demitindo

Eduardo Jablonski
Às vezes é incompreensível a razão pela qual as empresas demitem seus melhores e mais experientes funcionários. Os países de primeiro mundo (e talvez por isso sejam de primeiro mundo) em geral empregam um funcionário a vida toda. Os italianos, por exemplo, os maiores produtores de máquinas para calçados do mundo, apresentam elevadas produções com fábricas de 10, 15 funcionários, todos com 25, 30 anos de empresa. Existem multinacionais norte-americanas que nunca demitem, e isso que os americanos são altamente competitivos.
Às vezes é incompreensível a razão pela qual as empresas demitem seus melhores e mais experientes funcionários. Os países de primeiro mundo (e talvez por isso sejam de primeiro mundo) em geral empregam um funcionário a vida toda. Os italianos, por exemplo, os maiores produtores de máquinas para calçados do mundo, apresentam elevadas produções com fábricas de 10, 15 funcionários, todos com 25, 30 anos de empresa. Existem multinacionais norte-americanas que nunca demitem, e isso que os americanos são altamente competitivos.
Aqui no Brasil tudo é diferente. As emissoras de rádio, por exemplo, estão sempre mandando embora os ícones da comunicação, como aconteceu há poucas semanas. Isso faz com que os programas percam a graça. É muito mais interessante ouvir uma partida de futebol, um comentário esportivo, político, artístico com um jornalista ou radialista que atua no meio há décadas.
Nas indústrias, por que demitir um funcionário com 20 anos de casa e contratar outro que levará meses para aprender a função e anos para ter o conhecimento daquele que foi demitido? Não dá para compreender. No magistério, por exemplo, uma faculdade com filiais em Porto Alegre e Gravataí mandou embora todos os seus melhores professores (mestres e especialistas), os que tinham 10, 15 anos de instituição, e contratou tudo de novo apenas com doutorado, e agora está quase falida.
Para algumas empresas, o ser humano não existe, é apenas a peça de uma engrenagem, que pode ser substituída a qualquer hora, segundo o humor do líder, sem critério, sem planejamento. Os funcionários mais qualificados e experientes enfrentam problemas para se recolocar no mercado, porque estamos numa época de pandemia. E as próprias empresas são prejudicadas, visto que mandaram embora seu principal tesouro – o capital humano.
Anos atrás, jornalistas de redação de um grande veículo do interior se admiravam com a qualidade e rapidez de resolver problemas do seu editor. Para ele, todos os contratempos eram solucionados com rapidez e facilidade, mas o cidadão tinha 20 anos de casa. Pois é, ele foi mandado embora, o referido meio de comunicação quebrou e hoje é apenas virtual.
Professor e escritor
Comentários CORRIGIR TEXTO