Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 01 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 01 de setembro de 2020.

Opinião

Compartilhar

artigo

- Publicada em 03h00min, 01/09/2020. Atualizada em 17h37min, 01/09/2020.

Geração trilionária - parte 3

Pessoas com mais de 55 anos são compradores 3 em 1: compram para si, para os filhos e os netos

Pessoas com mais de 55 anos são compradores 3 em 1: compram para si, para os filhos e os netos


FREEPIK/DIVULGAÇÃO/JC
João Satt
A internet tornou-se o destino natural para quem quer vender qualquer coisa. É sedutor ao anunciante a possibilidade de colocar sua marca, seus produtos na palma da mão dos consumidores.
A internet tornou-se o destino natural para quem quer vender qualquer coisa. É sedutor ao anunciante a possibilidade de colocar sua marca, seus produtos na palma da mão dos consumidores.
Contudo, são poucos ainda que reconhecem o gigantesco potencial de consumo das pessoas de mais de 55 anos, e o quanto a hipersegmentação é mais econômica e assertiva para vender o que você quer, para quem de fato tem necessidade e reconhece valor no que você tem para oferecer.
LEIA TAMBÉM:
A geração prateada representa 42% do consumo entre as famílias brasileiras, é a maior compradora em quase todas as categorias de produtos: imóveis de médio a alto padrão, condomínios horizontais, mercado financeiro, seguros, carros de luxo, joias, armações de óculos sofisticadas, médicos, hospitais de padrão internacional, moda, vinhos famosos, relógios, calçados, planos de saúde top de linha, eletroeletrônicos high end, cozinhas planejadas etc.
O mais importante nisso tudo é que são compradores 3 em 1: compram para si, para os filhos e netos. Não estranhe se um participante da geração prateada entrar na sua loja e comprar dois carros, um para ele e outro, mais econômico, para o filho. Ou trocar de imóvel e, ao mesmo tempo, comprar uma casa maior para reunir, nos finais de semana, os filhos e netos. Analisando esse potencial, identificamos os dois principais desafios atuais para uma marca que deseja vender seus produtos para a geração prateada.
1. Localização: identificar canais de acesso que conectem diretamente a marca/produto com as pessoas 55 . Por inexistir um espaço, no ambiente digital, com o qual a geração prateada se identifique, ela acaba dedicando boa parte do tempo garimpando, nas redes sociais, oportunidades que atendam seus desejos e necessidades. A falta de um endereço as torna difíceis de localizar.
2. Abordagem: existe muito preconceito e muita desinformação sobre como dialogar com pessoas que receberam um bônus de mais 30 anos de vida. A atriz Jane Fonda fez uma apresentação maravilhosa, "O terceiro ato da vida", no TED Talks. Recomendo muito assistir. Uma pessoa de 60 anos, hoje, tem cabeça, comportamento e um dia a dia inimaginável para alguém da mesma idade há duas décadas. As marcas se atrapalham fazendo narrativas sem cor nem identificação.
72% das pessoas da geração prateada querem viver de verdade e, principalmente, consumir marcas que as valorizem, respeitem e reconheçam.
Custa muito caro atingir as pessoas erradas, que não têm interesse ou dinheiro para comprar o que você tem a oferecer. Vale buscar a hipersegmentação, que sai muito mais barato. No final do dia, não é pagar mais caro para impactar, e sim não desperdiçar sua verba com quem, tão cedo, não vai poder comprar.
Estrategista e CEO do G5
Comentários CORRIGIR TEXTO