Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de julho de 2020.
Dia do Amigo.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 20 de julho de 2020.

Opinião

Compartilhar

Editorial

- Publicada em 03h00min, 20/07/2020. Alterada em 03h00min, 20/07/2020.

Os muitos desafios do novo ministro da Educação

O novo ministro da Educação, Milton Ribeiro, assumiu o cargo mostrando comedimento nas suas afirmações, o que já é um fato positivo. Propôs estudo, disciplina e a busca da universalização, muito além do atual estágio, do Ensino Fundamental e em suas séries e etapas subsequentes. Evitou polêmicas e fez poucas declarações, em tom conciliatório.
O novo ministro da Educação, Milton Ribeiro, assumiu o cargo mostrando comedimento nas suas afirmações, o que já é um fato positivo. Propôs estudo, disciplina e a busca da universalização, muito além do atual estágio, do Ensino Fundamental e em suas séries e etapas subsequentes. Evitou polêmicas e fez poucas declarações, em tom conciliatório.
Manter o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), com a participação dos estados e da União, é a primeira e inadiável tarefa do ministro.
O atual Fundeb deve terminar em 31 de dezembro de 2020, ele que atua como mecanismo para investimentos em educação, do Infantil ao Ensino Médio. Em 2019, foram repassados R$ 157 bilhões, ou 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB) do País.
Além disso, Milton Ribeiro terá que investir demais na educação em geral, por todos os meios, visando a inclusão social no País, eis que ela começa por meio do ensino curricular.
Hoje, há debandada nas escolas públicas do Brasil. Os motivos, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), seriam a necessidade de os jovens buscarem trabalho para o seu sustento ou para ajudar a família e o desinteresse da juventude para com a escola.
O novo ministro reforçou a autoridade do professor na sala de aula e citou educadores que no passado deram valiosas colaborações. Lembrou que a sua convicção religiosa não o afastará do compromisso com os valores constitucionais da laicidade do Estado e do ensino público.
Outro grande desafio que sempre é falado pelos governos e que será enfrentado, mas meta jamais alcançada, é o trabalho, por meios antigos ou novos, para diminuir o analfabetismo, que ainda se mantém com altas taxas, sem que as metas estabelecidas tenham sido alcançadas nas campanhas anteriores.
Espera-se muito do ministro Milton Ribeiro, o que pode ser considerado um estímulo, considerando as muitas expectativas em torno da sua pasta.
Por sua histórica e tão grande importância, o Ministério da Educação deve ser a alavanca que impulsionará a inclusão social, ao lado da saúde, da segurança, do trabalho e da moradia. São as bases de qualquer nacionalidade, mas o Brasil patina, há décadas, sem alcançá-las na totalidade que precisamos. Que o ministro Milton Ribeiro seja um sucesso, é o que o Brasil deseja.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO