Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 18 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 18 de julho de 2020.

Opinião

Compartilhar

editorial

- Publicada em 03h00min, 15/07/2020. Alterada em 03h00min, 15/07/2020.

Tecnologia 5G desponta como o futuro provável

O avanço da tecnologia é formidável nos anos que estamos vivendo, pois a cada período, às vezes até pequeno, temos novos lançamentos que acabarão por ser incorporados ao cotidiano de milhões ou mesmo bilhões de pessoas mundo afora. É o que está ocorrendo por conta da tecnologia 5G, quando norte-americanos e chineses acabam por se enfrentar, cada país querendo lançar o que há de mais moderno. A gigante chinesa das telecomunicações Huawei tem investido demais em 5G, modelo que se acredita será incorporado em quase todo o mundo, no máximo, em dois anos.
O avanço da tecnologia é formidável nos anos que estamos vivendo, pois a cada período, às vezes até pequeno, temos novos lançamentos que acabarão por ser incorporados ao cotidiano de milhões ou mesmo bilhões de pessoas mundo afora. É o que está ocorrendo por conta da tecnologia 5G, quando norte-americanos e chineses acabam por se enfrentar, cada país querendo lançar o que há de mais moderno. A gigante chinesa das telecomunicações Huawei tem investido demais em 5G, modelo que se acredita será incorporado em quase todo o mundo, no máximo, em dois anos.
Por enquanto, a preocupação fica por conta de se saber exatamente sobre a competitividade e segurança das várias soluções disponíveis. Questões como Big Data, digitalização das empresas e inteligência artificial são fundamentais para a competitividade, na observação de técnicos governamentais de países que pretendem adotar a tecnologia 5G.
A Huawei investiu bilhões de dólares no sistema, considerado o futuro das telecomunicações móveis, em concorrência com a Ericsson, da Suécia, e a Nokia, da Finlândia. Os Estados Unidos, o Reino Unido e outros países disseram que a Huawei representa um risco à segurança, principalmente porque seu fundador, Ren Zhengfei, é um ex-engenheiro do Exército Popular de Libertação da China, lembrando resquícios da Guerra Fria, a qual, teoricamente, foi encerrada há anos. Entre as inovações da 5G, destacam-se a digitalização e automação da indústria, a possibilidade de conectar objetos e eletrodomésticos do lar, e a realização de cirurgias com controle remoto, expectativas muito bem-vindas com a inteligência artificial por todos os aspectos que representa em termos de progresso profissional e privado no mundo todo.
A tecnologia 5G é a quinta geração para transmissão de dados sem fio entre dispositivos móveis, como smartphones ou outros dispositivos com conexão à internet. Com um mercado praticamente planetário à frente para ser conquistado e com lucros presumíveis de bilhões de dólares ou yuans, não surpreende a guerra comercial entre as duas maiores potências econômicas globais na tecnologia 5G.
Brasília ainda não decidiu, oficialmente, se adotará o modelo da Huawei, empresa hostilizada pelo governo de Donald Trump. Espera-se que a decisão venha somente após uma análise técnica completa em que os dados positivos e negativos - casos existam - no modelo sejam bem estudados. Que o 5G acabará sendo adotado por muitos, senão a maioria dos países, disso não se dúvida mais. Resta saber quando e em que condições.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO