Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 18 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 18 de julho de 2020.

Opinião

Compartilhar

artigo

- Publicada em 18h06min, 13/07/2020. Alterada em 18h06min, 13/07/2020.

Congresso Nacional, atenção!

Adelino Soares
Perante a atual rápida divulgação de notícias pelas redes sociais, por e.mails e whatsapp para grandes grupos, pela tevê e outras formas da mídia, etc., nossos parlamentares não ignoram o clamor da maioria do povo por sua imediata atuação para minimizarem a crise econômico-financeira e social que se instalou no Brasil, ora agravada pela Covid-19. Sem isso, crescerão as manifestações nas ruas, contra palácios, bens e estabelecimentos públicos e privados (valendo recordar a Revolução Francesa, e outras revoltas populares mais recentes, bem assim suas sérias consequências), exigindo a intervenção dos militares, já há muito reivindicada. Por outro lado, diante desse triste quadro, espera-se também a sensibilidade e o espírito humanitário e comunitário dos políticos, que devem considerá-los para a sobrevivência desta já bastante desgastada classe.
Perante a atual rápida divulgação de notícias pelas redes sociais, por e.mails e whatsapp para grandes grupos, pela tevê e outras formas da mídia, etc., nossos parlamentares não ignoram o clamor da maioria do povo por sua imediata atuação para minimizarem a crise econômico-financeira e social que se instalou no Brasil, ora agravada pela Covid-19. Sem isso, crescerão as manifestações nas ruas, contra palácios, bens e estabelecimentos públicos e privados (valendo recordar a Revolução Francesa, e outras revoltas populares mais recentes, bem assim suas sérias consequências), exigindo a intervenção dos militares, já há muito reivindicada. Por outro lado, diante desse triste quadro, espera-se também a sensibilidade e o espírito humanitário e comunitário dos políticos, que devem considerá-los para a sobrevivência desta já bastante desgastada classe.
Assim, para evitarem o agravamento de tal situação, urge que não protelem medidas essenciais, aprovando logo projetos em marcha e editando outros, como, por exemplo: a) a votação do projeto do senador Lasier Martins, retirando do orçamento do Senado Federal - 2º mais caro do mundo - 500 milhões, para uso no combate ao coronavírus; b) nos Fundos Partidário e Eleitoral, o corte de no mínimo 50% dos bilhões que ali se autodestinaram e para distribuição a critério das cúpulas; c) como vem sendo proposto para os servidores do Executivo, reduzir, escalonadamente, de 2% a 10%, as remunerações mais altas que o Judiciário e o Legislativo pagam a CCs e servidores de seus quadros; d) cortar 50% nos valores das diárias, nos gastos com estas, impressos, correio, telefone, etc., e no número de viagens por qualquer meio de transporte; e) suspender por 3 anos todos os projetos de construção de novos prédios públicos e de reformas, ampliação ou melhorias nos atuais; f) atualizar as tabelas do Imposto de Renda, liberando deste quem já não ganha sequer para o sustento seu e da família; g) regulamentar o IGF, previsto na Constituição desde 1988.
Sem patriotismo e o imediato atendimento às necessidades e aspirações dos cidadãos, por parte daqueles em quem votaram para representá-los e atuarem nesse sentido, dificilmente os mesmos irão reeleger-se, apesar da divulgação de seus nomes na ampla propaganda que projetam com os substanciais Fundos já citados.
Advogado
Comentários CORRIGIR TEXTO