Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 30 de junho de 2020.
Dia do Economista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 30 de junho de 2020.

Opinião

CORRIGIR

Artigos

Edição impressa de 30/06/2020. Alterada em 30/06 às 15h32min

Cooperativismo como solução na crise

Roselaine Buttenbender
"Em momentos de maior tensão e crise é que você tem mais oportunidades de mostrar o quanto sua liderança é significativa." Este é um momento desafiador, sem precedentes. Estamos lidando com o desconhecido, sem saber muito bem quando essa crise terá fim e quais suas consequências futuras. Ao mesmo tempo, há uma responsabilidade muito grande, uma necessidade de reinvenção e de tentarmos lidar da melhor forma com as ferramentas disponíveis.
"Em momentos de maior tensão e crise é que você tem mais oportunidades de mostrar o quanto sua liderança é significativa." Este é um momento desafiador, sem precedentes. Estamos lidando com o desconhecido, sem saber muito bem quando essa crise terá fim e quais suas consequências futuras. Ao mesmo tempo, há uma responsabilidade muito grande, uma necessidade de reinvenção e de tentarmos lidar da melhor forma com as ferramentas disponíveis.
Nosso principal desafio tem sido a insegurança e o medo dos próprios colaboradores e cooperados em relação ao futuro. Temos agido de forma rápida desde a primeira semana do agravamento da crise, quando disponibilizamos o trabalho em home office para a maioria dos nossos colaboradores e mantemos uma equipe reduzida nas nossas agências para conseguir prestar atendimento ao nosso cooperado.
Rapidamente desenvolvemos e disponibilizamos respostas às principais perguntas que sabíamos que viriam, principalmente relacionadas ao crédito. Oferecemos prazo de carência e a inclusão de linhas emergenciais, no caso de necessidade de novos créditos. Alguns projetos saíram da "gaveta", como a assinatura digital para nossos contratos.
Ainda que haja uma pressão social e histórica maior na figura feminina, acredito que, independentemente do sexo, devemos desempenhar bem nossos papéis. É em momentos de maior tensão e crise que é possível mostrar o quanto sua liderança é significativa. Serenidade, equilíbrio e inteligência emocional são competências importantes e que garantem o merecimento de estar na cadeira que lhe concederam para assumir. Acredito também que o comprometimento com os colaboradores e com a empresa são requisitos importantes para um líder atingir todos os seus objetivos.
E por falar neles, meu maior objetivo é ver a felicidade e satisfação dos colaboradores e cooperados. Meu foco e principal responsabilidade reside nesses dois públicos. Um depende do outro. Minha felicidade profissional está em atingir a felicidade dos colaboradores e cooperados. Com a crise, em função da proximidade que sempre tivemos com nossos públicos, o desafio é continuar presente em suas vidas, mesmo em distanciamento. Muitas coisas se transformarão e não voltarão mais a ser o que eram antes. Será o nosso novo normal, mas não necessariamente será algo ruim. Acredito que podemos aproveitar os ensinamentos dessa crise e levar o que é realmente importante para toda nossa vida.
Diretora-geral da Unicred VTRPP
CORRIGIR
Comentários