Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 18 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 18 de julho de 2020.

Opinião

Compartilhar

artigos

- Publicada em 16h08min, 29/06/2020. Alterada em 21h59min, 29/06/2020.

Pronampe traz alívio para micro e pequenas empresas

Janine Brito
Em maio deste ano, o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) foi instituído pelo governo federal para desenvolver e fortalecer os pequenos negócios do nosso País. Na última quarta-feira, 24/06, Guilherme Afif Domingos, assessor especial do ministro da Economia, informou que a medida deve ser liberada pelos bancos privados a partir do dia 15 de julho. Em meio às adversidades proporcionadas pela pandemia do coronavirús, o suporte oferecido ao empreendedor traz um suspiro de alívio.
Em maio deste ano, o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) foi instituído pelo governo federal para desenvolver e fortalecer os pequenos negócios do nosso País. Na última quarta-feira, 24/06, Guilherme Afif Domingos, assessor especial do ministro da Economia, informou que a medida deve ser liberada pelos bancos privados a partir do dia 15 de julho. Em meio às adversidades proporcionadas pela pandemia do coronavirús, o suporte oferecido ao empreendedor traz um suspiro de alívio.
De março a abril, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) realizou uma pesquisa para mensurar os impactos da pandemia para os microempreendedores. A entidade informou que, por conta da pandemia, houve uma mudança de funcionamento de 5,3 milhões de pequenas empresas no Brasil, sendo equivalente a 31% dos negócios totais. Além disso, 10,1 milhões interromperam temporariamente as atividades, sendo correspondente a 58,9% dos empreendimentos em território brasileiro.
Esses dados deixam ainda mais nítida a nossa realidade. Sim, estamos passando por um momento difícil, onde a incerteza acerca do futuro de nossos negócios tem tirado o sono e a tranquilidade dos empreendedores brasileiros. Ainda assim, reforço: são em situações adversas, fora de qualquer tipo de planejamento, que despertamos o nosso lado mais criativo para fugir da crise. Com esta nova medida, pequenos empresários terão uma oportunidade extra para seguir o fluxo de seus negócios.
Sabe-se que, apenas pelo Banco do Brasil, mais de 40 mil clientes já foram contatados pelos gerentes de relacionamento. Destes, cerca de 5,5 mil já tiveram propostas aprovadas, no montante de R$ 269 milhões.Esses recursos são fundamentais para trazer força e motivação para o empreendedor se reestabelecer no mercado. Ou, pelo menos, sobreviver até a tempestade de agora passar.
Os tempos são difíceis, mas não podemos perder a esperança. Teremos muitos ganhos com a crise, seja na mudança do nosso mindset, seja na nova prototipação de nossos negócios e na forma de nos relacionarmos com o cliente, com os nossos colaboradores e parceiros.
O mundo mudou! E que a nossa disponibilidade interna para a mudança seja diretamente proporcional à nossa vontade de superar a crise e de seguirmos com o legado de protagonistas sociais e alavancadores do novo mundo que se descortinou diante dos nossos olhos, a partir de março deste ano.
Fundadora do Grupo Empresários em Ação e escritora
Comentários CORRIGIR TEXTO