Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 25 de junho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 25 de junho de 2020.

Opinião

CORRIGIR

Artigos

Edição impressa de 25/06/2020. Alterada em 25/06 às 03h00min

Em defesa da vida, do comércio e serviços

Marcos Carbone
É fato que a pandemia da Covid-19 impactou negativamente em diversos aspectos - o social e o econômico, principalmente. Há quem defenda o cuidado com a saúde acima de tudo. Outros clamam que a economia não pode parar, sob o risco de gerar prejuízos maiores do que os causados pela doença. Em tempos de polarização, muitos parecem esquecer que é possível, sim, buscar o ponto de equilíbrio: zelar pela vida humana e, com segurança, seguir trabalhando, buscando o sustento, produzindo, gerando empregos.
É fato que a pandemia da Covid-19 impactou negativamente em diversos aspectos - o social e o econômico, principalmente. Há quem defenda o cuidado com a saúde acima de tudo. Outros clamam que a economia não pode parar, sob o risco de gerar prejuízos maiores do que os causados pela doença. Em tempos de polarização, muitos parecem esquecer que é possível, sim, buscar o ponto de equilíbrio: zelar pela vida humana e, com segurança, seguir trabalhando, buscando o sustento, produzindo, gerando empregos.
Desde o início de pandemia, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Bento Gonçalves (CDL-BG) optou por adotar uma postura conciliatória e equilibrada: priorizando seu compromisso social, expresso pela preservação do bem-estar das pessoas, e, igualmente, defendendo o direito dos comerciantes de exercerem suas atividades de forma responsável, conforme as novas regras. A proposta funcionou e, aos poucos, começamos a nos adaptar ao 'novo normal'.
Quando fomos severamente prejudicados pelo governo estadual, neste mês, com a mudança da classificação da região da Serra para a condição de bandeira vermelha, apesar de todos os evidentes esforços empenhados, fomos obrigados a fechar as portas. Embora radicalmente contrários à situação, expressamos nossa inconformidade pelas vias da razão e da racionalidade.
Ao optamos por não incitar o ódio, a desordem e ou confronto agressivo, não significa que estamos sendo passivos ou omissos - quer dizer que escolhemos o caminho inquestionável dos fatos e da verdade para fazer valer nosso ponto de vista. Respeitar os poderes instituídos que regem a sociedade, por mais que discordemos de suas decisões, é sinal de civilidade, independentemente de convicções ou direcionamentos políticos - interesses, esses, supérfluos diante da causa macro que defendemos. Do contrário, qualquer argumento perde sua legitimidade.
A CDL-BG, na qualidade de entidade representativa, serve à missão de defender os interesses de seus associados e interceder por eles diante de qualquer adversidade. Isso é o que sempre fizemos e que continuaremos a fazer. Não nos omitiremos diante de nenhuma injustiça e não deixaremos nenhum associado desamparado. Não nos furtaremos ao confronto de ideias tantas vezes quantas forem necessárias para garantir que seja devolvido aos setores do comércio e serviços de Bento Gonçalves o direito de trabalhar. Essa é a batalha que escolhemos lutar: a causa do comércio.
Presidente da CDL-BG
CORRIGIR
Comentários