Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020.
Dia do Atleta Profissional.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

10/02/2020 - 03h00min. Alterada em 10/02 às 03h00min

Transporte: é preciso abrir a caixa-preta

Aldacir Oliboni
O pacote do prefeito é uma ação eleitoreira que não garantirá a redução da passagem em Porto Alegre. Os projetos enviados não apresentam nenhum estudo técnico de viabilidade ou impacto econômico e social que aponte para isso. Também é estranho um prefeito que durante três anos aumentou a tarifa em 175% acima da inflação e a transformou na mais cara do País, agora promete reduzi-la em ano eleitoral.
O pacote do prefeito é uma ação eleitoreira que não garantirá a redução da passagem em Porto Alegre. Os projetos enviados não apresentam nenhum estudo técnico de viabilidade ou impacto econômico e social que aponte para isso. Também é estranho um prefeito que durante três anos aumentou a tarifa em 175% acima da inflação e a transformou na mais cara do País, agora promete reduzi-la em ano eleitoral.
Ninguém é contra baratear a passagem. Essa sempre foi uma luta da oposição e sempre nos manifestamos contra os abusivos aumentos de Nelson Marchezan Júnior (PSDB).
Vejam que mesmo isentando as concessionárias do pagamento de impostos municipais, extinguindo a segunda passagem gratuita, acabando com a isenção dos idosos entre 60 e 65 anos, reduzindo o número de linhas e os horários dos ônibus, a tarifa não reduziu um centavo sequer. As aplicações financeiras do sistema de bilhetagem eletrônica (compra do passe antecipado) serviram somente para irrigar o lucro das empresas.
Para reduzir o preço do ônibus é preciso abrir a caixa-preta das concessões privadas. É inconcebível que Marchezan não tenha feito isso ainda. Não há transparência sobre os reais custos do transporte e o atual governo, além de retirar direitos, também se omite de fiscalizar adequadamente as empresas. Talvez o real motivo para isso seja o seu compromisso com os empresários e não com os usuários do transporte.
Sobre a perda de passageiros, ela não tem somente uma causa. É verdade que contribuem para isso a explosão do transporte por aplicativo na cidade. Contudo, o valor abusivo da tarifa aliado ao sucateamento dos ônibus em circulação, são fatores decisivos para que as pessoas optem por outros modais de transporte.
O prefeito sabe, mas não quer mexer no lucro empresarial. Prefere criar pedágio para a população da Região Metropolitana de Porto Alegre, demitir cobradores e taxar trabalhadores do transporte por aplicativos. Afinal, para ele, quem sempre deve pagar a conta é a população.
Abra a caixa-preta, faça auditoria nas concessões, prefeito! Será a partir daí que a passagem de ônibus começará a baixar.
Vereador do PT, líder da oposição na Câmara Municipal de Porto Alegre
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia