Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020.
Dia do Atleta Profissional.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

editorial

Edição impressa de 10/02/2020. Alterada em 10/02 às 03h00min

Mobilidade, um investimento certeiro para a economia

Veio em boa hora a notícia de que o governo do Estado irá investir R$ 220 milhões na malha rodoviária gaúcha neste ano. A cifra supera os R$ 170 milhões investidos no ano passado pela Secretaria Estadual de Logística e Transportes.
Veio em boa hora a notícia de que o governo do Estado irá investir R$ 220 milhões na malha rodoviária gaúcha neste ano. A cifra supera os R$ 170 milhões investidos no ano passado pela Secretaria Estadual de Logística e Transportes.
Os valores serão aplicados em construção de novas estradas, pavimentação de acessos municipais e também em recuperação de rodovias. Mas um grande pleito da Região Metropolitana de Porto Alegre deve finalmente virar realidade: a conclusão da duplicação da RS-118, vital para a economia e a mobilidade de diversos municípios próximos da Capital.
A execução tem recursos que já tinham sido captados com o BNDES, de R$ 131 milhões, mais R$ 33 milhões de contrapartida do Estado. É o maior valor do pacote destinado a uma obra específica. São 21 quilômetros a partir da BR-116, em Sapucaia do Sul, até a BR-290, a popular freeway, no trecho de Gravataí.
Ainda nas rodovias, a iniciativa privada poderá assumir outros trechos que serão concedido pelo Estado. A ideia é retirar, gradativamente, as estradas estaduais da responsabilidade da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) e repassá-las para outros operadores.
É uma oportunidade de aumentar os investimentos nas estradas, com qualidade. Obviamente que teremos pedágios, mas desde que a um preço justo e com melhorias nas rodovias.
O governo do Estado ainda pretende investir no modal aeroviário, principalmente nas ampliações de aeroportos regionais, como o aeroporto Lauro Kortz, de Passo Fundo. Serão R$ 44 milhões para as obras do terminal.
Na Capital, cabe destacar os aportes da Fraport na ampliação do aeroporto Salgado Filho. No total, o projeto inclui R$ 1,8 bilhão em investimentos para transformar o terminal gaúcho em um dos mais modernos aeroportos do Brasil. Já foram entregues o novo edifício-garagem com 1.050 vagas, a ampliação do terminal de passageiros com novas áreas de check-in e embarque nacional e internacional, melhorias de estruturas para usuários e mais espaços no pátio de aeronaves.
Também está em desenvolvimento um novo modelo de gestão para o porto do Rio Grande, principal terminal gaúcho e um dos mais importantes do Brasil. A ideia é fortalecer a autonomia do sistema portuário, mudando o terminal de autarquia para empresa pública.
Todos os investimentos citados são essenciais para qualificar a logística gaúcha. Boa parte da produção agrícola do Estado passa pelas estradas e segue para o porto do Rio Grande, por exemplo. Sem isso, não há como pensarmos em um crescimento econômico sustentável.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia