Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 22 de julho de 2020.

Opinião

Compartilhar
- Publicada em 03h00min, 27/01/2020. Atualizada em 03h00min, 27/01/2020.

Parques nacionais

22-JCA011-DIG.pdf  Palavra do Leitor  nova Segunda-feira 27 01 2020

22-JCA011-DIG.pdf Palavra do Leitor nova Segunda-feira 27 01 2020


/REPRODUÇÃO/JC
Ainda bem que o governo federal resolveu entregar à iniciativa privada os Parques Aparados da Serra e da Serra Geral, localizados na Serra do Rio Grande do Sul (Jornal do Comércio, página 11, edição de 22/01/2020). No exterior, os governos entregam tudo à iniciativa privada e, desta maneira, geram empregos e ainda recebem participações nos lucros. É o caso, mais do que conhecido, da Disneyworld, em Orlando, Flórida, nos Estados Unidos. Os brasileiros, assim que podem em termos financeiros, vão visitar este parque idealizado por Walt Disney e lá deixam preciosos dólares. Isso há décadas. Enquanto isso, nossos parques por aqui são até desconhecidos, de difícil acesso - tem que construir rodovias secundárias para tanto, mas nunca há dinheiro. Espero que tudo dê certo. (Helenara de Freitas, Caxias do Sul/RS)
Ainda bem que o governo federal resolveu entregar à iniciativa privada os Parques Aparados da Serra e da Serra Geral, localizados na Serra do Rio Grande do Sul (Jornal do Comércio, página 11, edição de 22/01/2020). No exterior, os governos entregam tudo à iniciativa privada e, desta maneira, geram empregos e ainda recebem participações nos lucros. É o caso, mais do que conhecido, da Disneyworld, em Orlando, Flórida, nos Estados Unidos. Os brasileiros, assim que podem em termos financeiros, vão visitar este parque idealizado por Walt Disney e lá deixam preciosos dólares. Isso há décadas. Enquanto isso, nossos parques por aqui são até desconhecidos, de difícil acesso - tem que construir rodovias secundárias para tanto, mas nunca há dinheiro. Espero que tudo dê certo. (Helenara de Freitas, Caxias do Sul/RS)
Empréstimos do BNDES
Mesmo para um primário, poderia imaginar não ter havido corrupção no BNDES, nos governos do PT? Mesmo para um primário, não acreditaria na legalidade dos empréstimos para os caloteiros Cuba, Venezuela e Angola? Mesmo para um primário, conseguiria imaginar na possibilidade de ser enquadrado numa operação, com juros subsidiados, com custo de cinco vezes menores do que a taxa de mercado, sem haver corrupção, conforme cito: Em novembro de 2019, o volume de operações de crédito foi de R$ 3.409,5 bilhões (47,26% do PIB), sendo: 56,91% do total - R$ 1.940,3 bilhão (26,89% do PIB) com recursos livres com juro médio de 36,2% ao ano;- 43,09% do total, ou R$ 1.469,2 bilhão (20,37% do PIB) com recursos direcionados concedidos por bancos públicos (Caixa, BB, BNDES) com juro médio de 7,4% ao ano. Não há a menor dúvida que esse mecanismo de juro especial para os amigos e aliados dos governantes de plantão seja uma fonte primária de corrupção e de propina. Alguém tem dúvida? Conclusão, com base na minha experiência profissional, como cliente do BNDES, na década de 80: A corrupção ocorre na fase do enquadramento do crédito, fora do BNDES. Assim sendo, dentro do BNDES, está tudo correto. Não tenho a menor dúvida. (Ricardo Bergamini, analista financeiro)
Luana Piovani 
Este endeusamento de outros países tidos como paraísos em termos de segurança mostrou a realidade, mais uma vez, por meio da atriz Luana Piovani. Ela foi roubada em tudo, quando estava no Mercado da Ribeira, em Lisboa. Foi para lá por conta, segundo ela - o que é verdade - da insegurança, principalmente no Rio de Janeiro. Mas, lugar seguro mesmo só no céu. Acabou sendo roubada em tudo, cartões de crédito, vestido novo e por aí vai. Nada contra Portugal, um país que é mesmo bonito e mais seguro que aqui, mas, pelo menos, tenham um pouco de realidade na comparação do Brasil com outras nações. Lá fora também há banditismo, ladrões e corruptos, sim senhora! (Neusa Lobatto Novaes, Santa Maria/RS)
DPVAT
 Que confusão conseguiram fazer com esse tal de seguro obrigatório, o DPVAT, para veículos automotores. Era um valor, foi baixado, voltou a subiu e, finalmente, o presidente do STF, Dias Toffoli, mandou voltar ao valor mais baixo. Mas, aí milhares já haviam pago. Agora ou fica como crédito para 2020, ou os bancos devolvem - no meu caso, o Banrisul devolveu no outro dia -, mas tem que ter conta em algum banco credenciado. Enfim, mais um rolo pela falta de comunicação eficiente do governo federal. (Rodrigo Bernardes, Porto Alegre)
Comentários CORRIGIR TEXTO