Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

EDITORIAL

Edição impressa de 15/01/2020. Alterada em 15/01 às 03h00min

Os feriados em 2020 e a indústria do turismo no Brasil

Boa parte dos feriados nacionais caíram em sábados ou domingos no ano passado. Com isso, houve menos feriadões do que o habitual no Brasil. Em 2020, ao contrário, o ano será pródigo em pausas relacionadas a feriados.
Boa parte dos feriados nacionais caíram em sábados ou domingos no ano passado. Com isso, houve menos feriadões do que o habitual no Brasil. Em 2020, ao contrário, o ano será pródigo em pausas relacionadas a feriados.
Diversas datas festivas ou religiosas caem em sextas e segundas-feiras, além de terças e quintas-feiras, fazendo com que, muita gente, estique a pausa até o fim de semana. Se a indústria perde alguns dias de produção e o comércio, em diversos casos, deixa de vender com o recesso em algumas dessas datas, o setor do turismo comemora a chance de faturar mais.
De fato, serão 10 semanas em que a folga de muita gente irá além do sábado e do domingo. Quem deve lucrar com essa sequência de feriadões é o turismo e toda sua cadeia - hotéis, pousadas, agências de viagens, companhias aéreas e de ônibus, agentes de turismo, além de bares e restaurantes e o próprio comércio de regiões turísticas. O setor de serviços dessas cidades, por consequência, também deve faturar bem.
Estudos apontam que o turismo impulsiona outras áreas, inclusive o varejo. Assim, milhões de viagens que serão realizadas nos feriadões devem amenizar a perda de outros setores. Ainda mais que o câmbio está desfavorável a viagens ao exterior, e as passagens aéreas estão com preços mais elevados. Isso deve estimular, ainda mais, que os deslocamentos ocorram no próprio País e, em muitos casos, na própria região, estimulando as economias locais.
O próximo feriado deste 2020 será o Carnaval (terça-feira, 25 de fevereiro). Depois, teremos, ainda, Páscoa (Sexta-Feira Santa, 10 de abril), Tiradentes (terça-feira, 21 de abril), Dia do Trabalho (sexta-feira, 1º de maio), Corpus Christi (quinta-feira, 11 de junho), Independência do Brasil (segunda-feira, 7 de setembro), Dia de Nossa Senhora Aparecida (segunda-feira, 12 de outubro) Finados (segunda-feira, 2 de novembro), além de Natal e Ano-Novo, que caem em sextas-feiras.
Serão datas em que deve haver forte movimentação em estradas de todo o País, bem como nas rodoviárias e nos aeroportos. Todo esse movimento deve ajudar na geração de emprego no setor de viagens.
Há, ainda, os feriados municipais e estaduais. No nosso caso, o 20 de setembro, marco da Revolução Farroupilha, cai em um domingo. E Nossa Senhora de Navegantes, 2 de fevereiro, feriado em muitas cidades gaúchas, também cai no domingo.
De qualquer forma, o ano será pródigo em feriadões. E espera-se que, além de boas viagens de lazer a milhões de brasileiros, essas datas também rendam bons frutos à economia. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia