Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 31 de dezembro de 2019.
Dia de São Silvestre.

Jornal do Comércio

Notícia da edição impressa de 31/12/2019.
Alterada em 31/12 às 11h53min
COMENTAR | CORRIGIR

Vendas de Natal

Para mim, as vendas de Natal aqui em Porto Alegre foram boas. Ainda mais que a prefeitura de Porto Alegre pagou em dia durante todo 2019, os vencimentos dos cerca de 23 servidores ativos, inativos e pensionistas, injetando cerca de 238 milhões na economia local mensalmente. Por isso não entendo a discordância (Jornal do Comércio, página 7, edição de 30/12/2019) entre setores lojistas e dos centros comerciais. Falam em açodamento na divulgação dos dados. Mas, mesmo assim, penso que foram boas vendas. Que venham os dados finais que, tenho certeza, serão bons. (Mário Chinaglia, Porto Alegre)
Para mim, as vendas de Natal aqui em Porto Alegre foram boas. Ainda mais que a prefeitura de Porto Alegre pagou em dia durante todo 2019, os vencimentos dos cerca de 23 servidores ativos, inativos e pensionistas, injetando cerca de 238 milhões na economia local mensalmente. Por isso não entendo a discordância (Jornal do Comércio, página 7, edição de 30/12/2019) entre setores lojistas e dos centros comerciais. Falam em açodamento na divulgação dos dados. Mas, mesmo assim, penso que foram boas vendas. Que venham os dados finais que, tenho certeza, serão bons. (Mário Chinaglia, Porto Alegre)
Juiz de garantias
Velhas e novas raposas, mais uma vez se uniram para manter o "DNA" de um País voltado para livrar os corruptos de pagar pelos seus crimes, pois a criação de um "Juiz de Garantias" nada mais é que uma manobra para protelação dos processos contra esses mestres do crime contra o povo brasileiro, e aí incluímos esquerda e direita. (Paulo Roberto Souza, administrador, Caxias do Sul/RS)
Rio Pardo convida
Situada na Região Central do Estado, com o privilégio de estar na confluência de dois importantes rios, - Jacuí e Pardo -, a cidade de Rio Pardo tem assegurado o abastecimento de água e o desfrute do estirão navegável até a capital Porto Alegre, regulado por duas barragens-eclusas, Dom Marco e Amaropoles. Clima ameno. Regime de chuvas regular. Altitude de 47 metros, população de 40 mil habitantes, mão-de-obra abundante e barata. Solo fértil, proporcionando variado empreendimento agrícola e pecuário ora em promissora expansão; comércio e indústrias florescentes; rede hoteleira e redes gastronômicas confortáveis, além de seus belos balneários. Servida por três grandes rodovias, BR 471, 290 e ERS 403, malha ferroviária extensa e eficiente, espaço ideal para desenvolvimento das vias aéreas, sem esquecer do seu inestimável patrimônio histórico/cultural que por si só a prestigiam e distinguem. Por tudo isso, e pelo calor humano de seu povo, Rio Pardo é um constante convite ao incremento do turismo e dos investimentos econômicos. Rio Pardo, cidade amiga! (Fernando Wunderlich, advogado e agropecuarista, Rio Pardo/RS)
Taxas
Há anos, depois de terminar um financiamento de veículo, fui a um CRVA para dar baixa no DUT e passar para "propriedade". Peguei a guia no local, paguei no banco a taxa salgada e recebi em casa o documento. Agora, depois de financiar outro veículo e dar baixa no mesmo CRVA, mudou: tem que pegar a guia e pagar pela impressão (R$ 4,62), levar no banco e pagar a taxa salgada de R$ 235,31 e voltar no CRVA para apresentar a taxa paga. Mas, esta taxa deve ser digitalizada pelo CRVA, que cobrará R$ 15,43 para tanto, para depois receber em casa. Ou seja, inventaram mais duas taxas (cópia do documento e digitalização) e, o pior, fazer o cidadão dirigir-se duas vezes ao CRVA (filas imensas) e perder, além de dinheiro, seu precioso tempo. No RS, as coisas andam para trás. É mole? (Alexandre Freitas, contador)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia