Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 20 de dezembro de 2019.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

Artigos

Alterada em 20/12 às 03h00min

Joana D'Arc ou bebê de Rosemary?

José Maria Rodrigues de Vilhena
Nunca, em tempo algum da história, houve a situação do surgimento de um ou uma jovem, recém-saído da infância, que fosse capaz de influenciar decisões geopolíticas, filosóficas ou cientificas na civilização humana. Alexandre, Júlio César, Sócrates, Platão, Aristóteles, Isaac Newton e Albert Einstein só conseguiram realizar seus feitos de tremenda influência sobre o destino do homem já maduros. Alexandre ainda era jovem, porém adulto. Isso lembrado para que possamos refletir sobre a aparição da menina sueca Greta Thunberg. Parece estranho que, a uma criança de 16 anos, seja normal receber os holofotes da mídia global, ser apoiada pela oligarquia plutocrática mundial (George Soros), encontrar-se com o Papa, ganhar sustentação do presidente francês e discursar na ONU.
Nunca, em tempo algum da história, houve a situação do surgimento de um ou uma jovem, recém-saído da infância, que fosse capaz de influenciar decisões geopolíticas, filosóficas ou cientificas na civilização humana. Alexandre, Júlio César, Sócrates, Platão, Aristóteles, Isaac Newton e Albert Einstein só conseguiram realizar seus feitos de tremenda influência sobre o destino do homem já maduros. Alexandre ainda era jovem, porém adulto. Isso lembrado para que possamos refletir sobre a aparição da menina sueca Greta Thunberg. Parece estranho que, a uma criança de 16 anos, seja normal receber os holofotes da mídia global, ser apoiada pela oligarquia plutocrática mundial (George Soros), encontrar-se com o Papa, ganhar sustentação do presidente francês e discursar na ONU.
Racionalmente, sem leviandade, há, nesse fenômeno, algo imperceptível ao cidadão das calçadas e cujos reais interesses resguardam-se nos bastidores. Dirão muitos: ela ergueu sua voz contra a destruição ambiental no planeta!
Ora, por favor. Muitas vozes, há décadas, alertam sobre as agressões feitas à ecologia. Com sacrifícios até de suas vidas, homens e mulheres lutam por preservar a harmonia da vida na Terra.
Que ajuda receberam? Respondo: pífia. Há algo estranho com o caso Greta Thunberg. Mas ela é criança vivendo num país civilizado e rico.
Sua pessoa é gentil figura para a narrativa de uma heroína pós-moderna, influenciadora da multidão infantojuvenil mundial e imperceptível testa de ferro do movimento globalista-marxista que intenta implantar o fim das nações e estabelecer o governo único.
Jovens envolvidos no tema ambiental são um passo decisivo para o domínio da multidão, vamos salvar as florestas para evitar o aquecimento global e, assim, evitar as mudanças climáticas. Soa ingênuo, no mínimo é preciso perguntar: quem destrói as florestas? Preservá-las até quando e para quem?
Manter nosso planeta vivo e harmonizado é obrigação das gerações, e é preciso ser firme na defesa de uma humanidade justa e feliz em sintonia com a natureza harmonizada, não tenho dúvidas. Ainda, acreditar em fenômenos midiáticos repentinos e inexplicáveis é deixar-se enganar por desconhecimento da realidade. Tentam fazer da menina sueca uma Joana D'Arc, mas, talvez, ela esteja sendo usada como um bebê de Rosemary.
Engenheiro e ecólogo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia