Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 04 de novembro de 2019.
Dia do Inventor.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Edição impressa de 04/11/2019. Alterada em 04/11 às 03h00min

Os prejuízos da Lei do Caminhoneiro

Luciano Paixão
A implantação das cabines de descanso para motoristas nas rodovias do Brasil é uma realidade a ser financiada pela iniciativa privada do setor petroquímico, seguradoras, transportadoras e grandes indústrias que serão beneficiadas pelo projeto. De acordo com nossos estudos na startup SleepBoll, são necessárias quinhentas mil unidades para atender a demanda nacional tanto para os caminhoneiros como para viajantes a trabalho em geral. Além de desenvolver os pequenos dormitórios, visando eficiência, a empresa desenvolveu algoritmo de inteligência artificial para dobrar a produtividade e a rentabilidade por veículo de longa distância através de hot seat, que é o revezamento de motoristas no tempo e local certo de parada técnica para reabastecimento.
A implantação das cabines de descanso para motoristas nas rodovias do Brasil é uma realidade a ser financiada pela iniciativa privada do setor petroquímico, seguradoras, transportadoras e grandes indústrias que serão beneficiadas pelo projeto. De acordo com nossos estudos na startup SleepBoll, são necessárias quinhentas mil unidades para atender a demanda nacional tanto para os caminhoneiros como para viajantes a trabalho em geral. Além de desenvolver os pequenos dormitórios, visando eficiência, a empresa desenvolveu algoritmo de inteligência artificial para dobrar a produtividade e a rentabilidade por veículo de longa distância através de hot seat, que é o revezamento de motoristas no tempo e local certo de parada técnica para reabastecimento.
Enquanto o caminhão prossegue o seu itinerário intermitentemente, o sistema é interconectado por meio de API (interface de programação de aplicações) com as gerenciadoras de riscos responsáveis, evitando o desperdício e ineficiência com a ociosidade de veículos que chega ao montante de R$ 700 mil parados servindo de alojamento e aumentando o risco de assaltos - o que é inconcebível em pleno século XXI. Isso, fora o custo médio anual de R$ 250 mil com o tempo de parada por veículo de longas distâncias, causando um impacto econômico em efeito cascata superior a R$ 20 bilhões ao ano para os autônomos, transportadoras, indústrias e consumidores.
Além de disponibilizar áreas para a instalação das cabines SleepBoll, os pontos de parada técnica ao apoio de motoristas demandam a colaboração do setor no acolhimento dos trabalhadores por convênios na assistência permanente ao fornecimento de alimentação, reabastecimento e oficinas para manutenção dos veículos, local para banho e área de convivência.
Quanto ao benefício para os postos que já possuam 20 cabines instaladas, há incremento ao faturamento do estabelecimento de R$ 7 milhões ao ano, devido ao fluxo recorrente dos frotistas e ao consumo anual de combustível global de 14 bilhões de litros de combustível.
Há quatro anos da implementação da Lei dos Caminhoneiros, uma sequência de alterações relacionadas à jornada de trabalho do motorista profissional foi implementada visando o avanço e a segurança do setor.
A solução da SleepBoll para o segmento é a instalação do projeto IOT-B2B nos postos de combustíveis e pedágios nas rodovias brasileiras. São cabines de dormir no formato modular, com climatização e automação embarcados, podendo ser reservada on-line ou locada diretamente no local ao valor de R$ 12,00 a hora. Elas estão em conformidade com o Plano Gerenciamento de Riscos (PGR). 
CEO da Aliança para Salvar vidas
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia