Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 25 de julho de 2020.
Dia do Escritor. Dia do Motorista .

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 25 de julho de 2020.

Opinião

Compartilhar

artigos

- Publicada em 03h00min, 25/09/2019. Atualizada em 03h00min, 25/09/2019.

Controlados pelo poder da hipocrisia

José Maria Rodrigues de Vilhena
Só o homem possui virtudes e vicissitudes de alma. Diferente dos animais - que não nutrem raiva, não mentem nem ambicionam -, o homem vai além da natureza. O homem é metafísico. Neste jaez, a hipocrisia é marca da convivência humana. A história da civilização está repleta de mentiras e manejos, falsidades montadas para atender a interesses não declarados. O objetivo oculto por detrás das atitudes visíveis. Os tempos hodiernos, com suas espetaculares tecnologias e formidáveis desafios deram aos hipócritas capacidade para atingir, rápida e definitivamente, corações e mentes da multidão. Em tal contexto, as demandas ambientais prestam-se muito aos debates e ideologias farsantes. O metacapitalismo e o comunismo - faces da mesma moeda - sustentam a existência de um mundo de desejos materiais onde o capitalismo globalista financia e negocia, enquanto o comunismo disponibiliza mão de obra barata, destrói tradições e impõe subserviência das massas ao poder do partido de comando absoluto.
Só o homem possui virtudes e vicissitudes de alma. Diferente dos animais - que não nutrem raiva, não mentem nem ambicionam -, o homem vai além da natureza. O homem é metafísico. Neste jaez, a hipocrisia é marca da convivência humana. A história da civilização está repleta de mentiras e manejos, falsidades montadas para atender a interesses não declarados. O objetivo oculto por detrás das atitudes visíveis. Os tempos hodiernos, com suas espetaculares tecnologias e formidáveis desafios deram aos hipócritas capacidade para atingir, rápida e definitivamente, corações e mentes da multidão. Em tal contexto, as demandas ambientais prestam-se muito aos debates e ideologias farsantes. O metacapitalismo e o comunismo - faces da mesma moeda - sustentam a existência de um mundo de desejos materiais onde o capitalismo globalista financia e negocia, enquanto o comunismo disponibiliza mão de obra barata, destrói tradições e impõe subserviência das massas ao poder do partido de comando absoluto.
Dessa sinergia sombria resulta uma doutrina assentada na filosofia montada por uma oligarquia plutocrática que instiga e patrocina uma intelectualidade comprometida em estabelecer o governo mundial. E, sob o argumento de democracia e república, nascido na Revolução Francesa, qualquer tática capaz de contribuir na implantação dessa agenda é aceitável.
Portanto, na chocante situação dos incêndios na floresta amazônica, há uma hipócrita política dúbia, que, com uma mão, necessita derrubar a floresta, pois há minérios imprescindíveis (bauxita, cassiterita, manganês, nióbio) ao desenvolvimento de uma industrialização de escala global e, em paralelo, urge expandir fronteiras agrícolas capazes de produzir soja e carne a fim de alimentar a população da China - paradigma do comunismo bem-sucedido.
Com a outra mão, financia organizações ambientalistas e humanitárias globais e, utilizando a mídia de massa, propagandeia suas "boas" intenções com relação à Hileia Amazônica.
Os ingênuos idealistas, combatentes das causas que não conhecem, rapidamente são arregimentados. A juventude é levada na crença da luta contra um sistema opressor, que ela está programada para chamar de fascista. Os moços pensam defender a liberdade e a preservação do planeta, sem perceber que são joguetes daqueles que, de fato, os controlam, usando a hipocrisia como instrumento.
Engenheiro e consultor
Comentários CORRIGIR TEXTO