Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de setembro de 2019.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigos

Edição impressa de 12/09/2019. Alterada em 12/09 às 03h00min

Conselhos profissionais em risco

Lisandra Dornelles
O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio Grande do Sul (CRMV-RS) completa 50 anos de serviços prestados à população neste dia 12 de setembro ao assegurar o exercício exemplar das profissões de médico veterinário e zootecnista.
O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio Grande do Sul (CRMV-RS) completa 50 anos de serviços prestados à população neste dia 12 de setembro ao assegurar o exercício exemplar das profissões de médico veterinário e zootecnista.
Em meio século de atividades, muitos avanços foram conquistados, e há inúmeros motivos para comemorar. É tarefa dos conselhos, por meio de orientação, normatização e fiscalização, acompanhar a conduta das categorias de forma a garantir serviços de excelência à sociedade.
No caso da atuação dos CRMVs, o impacto direto na vida dos brasileiros se dá não apenas no quesito de saúde e bem-estar animal. O trabalho vai muito além das clínicas e dos consultórios para atendimento de pets, silvestres ou espécies de grande porte.
Todo alimento de origem animal que chega à mesa das famílias brasileiras, para ter suas propriedades e procedência de qualidade certificadas, necessita passar pelo acompanhamento de médicos veterinários.
E não para por aí. Desde 2011, os médicos veterinários têm a chancela do governo federal para trabalhar pela qualidade da atenção básica à saúde nos municípios de todo o País ao integrar as equipes multidisciplinares do Núcleo de Apoio à Saúde da Família, conhecido como NASF.
Cabe a esses profissionais a realização de visitas domiciliares para o diagnóstico de risco à saúde na interação entre os seres humanos, os animais e o meio ambiente. São também eles que trabalham na prevenção, no controle e no diagnóstico de doenças transmissíveis ao homem pelos animais, as chamadas zoonoses, como raiva, leptospirose, brucelose, tuberculose, dengue, febre amarela, dentre outras.
O momento é de celebração pelo cinquentenário, mas também de apreensão. A Proposta de Emenda Constitucional (PEC 108/19) pode comprometer o trabalho de fiscalização realizado pelas autarquias. A medida, se aprovada, ameaça o equilíbrio da saúde única, que compreende a garantia da saúde animal, humana e ambiental. A hora exige mobilização para evitar danos irreparáveis à humanidade.
Presidente do CRMV-RS
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia