Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de abril de 2019.
Dia Nacional da Conservação do Solo. Dia Mundial do Desenhista.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Edição impressa de 15/04/2019. Alterada em 15/04 às 03h00min

Saúde pública é prioridade

Lasier Martins
No mês de abril é celebrado o Dia Mundial da Saúde (dia 7). No Brasil, a saúde é um direito constitucional garantido no artigo 196: "A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação". A relevância das discussões acerca da data vem de um dado do instituto Datafolha: quatro em cada 10 brasileiros entendem que a prioridade da gestão pública deve ser a saúde.
Cônscio do clamor público pela garantia de um atendimento digno e de qualidade no Sistema Único de Saúde (SUS), tenho dedicado meu mandato à causa. Nos primeiros quatro anos de mandato no Senado, destinei mais de R$ 23 milhões para a saúde do Estado. Apesar desses esforços, sei das dificuldades que enfrentam as prefeituras diante da crise financeira que acomete o País e o Estado. Vivemos o mais grave momento no Rio Grande do Sul, pois a dívida do governo do Estado com hospitais e municípios chega a R$ 650 milhões. O governador e sua equipe têm feito todos os esforços para equalizar a situação, que não vem de agora, foi se agravando ao longo dos últimos anos.
Neste cenário, as emendas parlamentares podem ser importantes e decisivas. Já destinei para a saúde de Porto Alegre - referência para todo o Estado - R$ 2,6 milhões divididos entre hospitais e Fundo Municipal de Saúde. E, para 2019, tenho a previsão de contemplar a Capital com mais R$ 1,8 milhão para o Fundo Municipal da Saúde e outros cinco hospitais. É hora de unirmos esforços, todos, independentemente de posições ideológicas e partidárias. O Rio Grande do Sul deve estar acima de todos os interesses. A saúde do povo gaúcho exige isso, e seguiremos fazendo tudo o que estiver ao nosso alcance, não apenas para trazer mais recursos, mas para que possamos garantir a todos aqueles que dependem do SUS o que lhes é de direito: dignidade no atendimento de saúde.
Senador (Podemos)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia