Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 27 de março de 2019.
Dia Internacional do Teatro e Dia do Circo.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

27/03/2019 - 03h00min. Alterada em 27/03 às 03h00min

BR-290: duplicação urgente!

Henrique Fontana e Luiz Fernando Mainardi
A BR-290 é a principal rodovia transversal do Estado. Tem importância estratégica para o desenvolvimento do RS, sendo conhecida como "Corredor do Mercosul". São 726 quilômetros que ligam o Litoral à Uruguaiana, onde se encontra o maior porto seco da América Latina. Desde 2010, estudos indicam a saturação do trânsito da 290. Um dos indicadores trágicos dessa situação foi a elevação em mais de 50% no número de acidentes, desde o ano 2000. Por sua condição estratégica, o caminho tem uma densa ocupação de residências e empreendimentos comerciais e industriais.
A BR-290 é fundamental na integração do Mercosul. Por ali, milhares de argentinos e uruguaios acessam as nossas praias e é por esta via que pode fluir o transporte de mercadorias que ligarão Porto Alegre ao porto chileno de Coquimbo, através do Corredor Bioceânico, um projeto para ligar o Atlântico ao Pacífico que se iniciou ainda na década de 1990.
Por tudo isso, a rodovia foi incluída nos projetos de qualificação da malha rodoviária do governo federal, tendo a obra sido autorizada e efetivamente iniciada em 2014. Passados mais de quatro anos, entretanto, vemos uma obra quase paralisada, sem perspectivas de conclusão e, o que é pior, com a deterioração crescente daquilo que já foi feito.
Não se trata de responsabilizar este ou aquele governo. Mas as dificuldades se intensificaram a partir de 2016 e hoje, frente à política de austeridade do governo federal, a obra pode estar fadada ao esquecimento se não houver engajamento da sociedade em torno da sua necessidade. Para 2019, a bancada gaúcha aprovou emenda impositiva que reserva R$ 20 milhões para a duplicação, mas a liberação da emenda exige, evidentemente, mobilização.
Para dar seguimento a esta luta é que organizamos e estamos combinando os esforços das Frentes Parlamentares estadual e federal pela duplicação da BR-290. Relançamos as Frentes, em 18 de março, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Participe!
Coordenador da Frente Parlamentar Pela Conclusão das Obras da BR- 290 (federal) e coordenador da Frente Parlamentar Pela Duplicação da BR- 290 (estadual), ambos do PT
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Valdir 27/03/2019 07h22min
De Guaíba a Uruguaiana deveria haver de três a quatro trechos concedidos a iniciativa privada como foi feito com o trecho de Osório a Eldorado do Sul. Retornando de El Calafate a Porto Alegre o trecho mais perigoso é o da BR-290. Mesmo comparando com as estradas de rípio Argentinas.