Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 28 de dezembro de 2018.
Dia do Petroquímico. Dia do Salva-Vidas.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Edição impressa de 28/12/2018. Alterada em 28/12 às 02h17min

GeraçãoE

"Administrador emprega pessoas em situação de rua" (caderno GeraçãoE, Jornal do Comércio, edição de 20/12/2018). Parabéns pela iniciativa brilhante e humanitária. Se eu puder auxiliar, me coloco à disposição. (Fernando Aprato)
GeraçãoE II
Parabéns! Para mim, que te conheço, Diego Silva, não é surpresa, porque sei da tua índole (Administrador emprega pessoas em situação de rua, GeraçãoE). Um abraço e se precisar pode contar comigo. (Gilberto Bailfuss da Silva)
Judiciário
Estou delirando acordado ou é verdade que os juízes brasileiros tapearam o governo, não honrando o acordo de trocarem o escandaloso "auxílio moradia" de R$ 4.377,00 pelo aumento do salário de R$ 33,7 mil para R$ 39,3 mil. Suas Excelências continuam recebendo o auxílio. Respeitar acordos é coisa de trouxas, como nós. Os capa-pretas são super-heróis e pairam acima das leis. (Paulo Sergio Arisi, jornalista, Porto Alegre)
Bolsonaro
O novo presidente da República a partir de janeiro, Jair Bolsonaro (PSL), tem que medir as palavras. Como cidadão, falava tudo o que queria e apareceu até em fotos informais. Como presidente do País, terá que pensar bem para não dar munição aos seus opositores, sempre prontos a criticá-lo. (Rosa Maria Paranhos, Porto Alegre)
Orçamento de 2019
O orçamento estadual para 2019, que prevê R$ 7,4 bilhões de déficit, não passa de peça de ficção, como dizia o ex-ministro da Fazenda Joaquim Levy, sobre o orçamento federal. O déficit é sempre coberto com dinheiro federal de forma velada. Caso contrário, o Estado já teria quebrado há muito tempo. Nunca houve vontade de nenhum presidente de acabar com a farra dos estados, e nada indica que Bolsonaro irá mudar isto. Quem pagará a conta seremos nós, com mais impostos federais e estaduais. (Rafael Alberti Cesa, Caxias do Sul/RS)
Futebol
Com estes salários milionários pagos por grandes clubes a atletas e técnicos, principalmente nas renovações de contratos, não surpreende o que ocorreu em um clube gaúcho, com desvios de valores. É muito triste. (Oscar B. Soares, Passo Fundo/RS
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia