Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 11 de dezembro de 2018.
Dia do Arquiteto. Dia do Engenheiro.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

11/12/2018 - 01h00min. Alterada em 11/12 às 01h00min

Casa com Autonomia Energética

Elifas Simas
O governo do Estado lança o Atlas Solar do Rio Grande do Sul. O estudo é instrumento para desenvolvimento de políticas públicas e o incentivo ao uso de energia solar para o desenvolvimento e geração de novas tecnologias na produção de energia elétrica, com informações do potencial de radiação solar, mostrando os locais mais adequado a implantação desse sistema. Com base nesta informação e as de pesquisas realizadas pela indústria automotiva mundial de desenvolvimento do carro elétrico, o Estado deveria incentivar a Casa com Autonomia Energética. Já existem tecnologias capazes de viabilizar casas energeticamente autônomas, uma casa comum sem a necessidade de aspectos ou designs futuristas pode gerar toda a energia necessária para manter a família e gerar energia para abastecer o carro da família. A construção já incorpora as tecnologias de economia de energia mais tradicionais, como aquecimento de água por painéis termossolares e painéis fotovoltaicos para a geração de eletricidade. Especialistas indicam que o carro elétrico, com desafios, está mais perto da realidade do que pensamos. Até o ano que vem, receberemos modelos com preços mais acessíveis que os já oferecidos. Uma das vantagens dos automóveis elétricos é a redução da emissão de gás carbônico, um dos responsáveis pelo aquecimento global, mas onde a energia elétrica é produzida pode ter o mesmo efeito de geração de gás carbônico, se não for pensado formas alternativas de geração de energia limpa. A legislação tem ajudado a melhorar os investimentos em energia fotovoltaica, como a Resolução Normativa nº 687 de 2015 e a criação do Sistema de Compensação de Energia Elétrica, conforme a Resolução nº 482 de 2012 da Aneel Poderíamos ter Casas Autônomas, que não só gerariam energia elétrica para abastecer as necessidades da casa mas também sustentar o abastecimento do carro da família. O RS seria exemplo de geração de energia solar distribuída.
Engenheiro
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia