Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR |
SEGURANÇA Notícia da edição impressa de 11/05/2022. Alterada em 11/05 às 03h00min

Órgãos discutem alta na criminalidade em Rio Grande

Membros das forças policiais e do Estado reiteram a necessidade de integração para redução dos índices

Membros das forças policiais e do Estado reiteram a necessidade de integração para redução dos índices


/Gregori Bertó/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O titular da Secretaria da Segurança Pública (SSP), coronel Vanius Cesar Santarosa, acompanhado do comandante-geral da Brigada Militar, coronel Cláudio dos Santos Feoli, e do chefe da Polícia Civil, delegado Fabio Motta Lopes, reuniram-se em Rio Grande com operadores de segurança locais. O Poder Judiciário e o Ministério Público (MP), a Polícia Federal (PF), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), as demais vinculadas da Segurança e autoridades do município também participaram do encontro que debateu a criminalidade na região.

O município registra, de janeiro a março deste ano, 29 mortes violentas, sendo 28 vítimas de homicídio e uma, de latrocínio. O número já é próximo ao total de mortes violentas ocorridas em 2021, quando houve 28 vítimas de homicídio e três latrocínios. O encontro também debateu a situação atual da criminalidade no município, para encontrar soluções que reestabeleçam a queda nos indicadores criminais.

O secretário Santarosa abriu a reunião de trabalho enfatizando a importância do constante diálogo entre os operadores de segurança para coibir a atividade criminosa. "Nosso empenho e nossa união para debater e atualizar as estratégias de combate ao crime são essenciais para retomar a queda nos indicadores de criminalidade. Temos estratégias de curto e médio prazos, como o reforço do policiamento ostensivo, com apoio do Batalhão de Choque, a força-tarefa da Polícia Civil que está atuando em apoio aos agentes locais, para a elucidação dos municípios e para os próximos meses, a instalação dos bloqueadores de celular na penitenciária do município, o que vai evitar o contato das lideranças criminosas com o exterior dos presídios", disse.

O chefe do Observatório da Segurança Pública, coronel Carlos Augusto Gomes Rodrigues, abordou a evolução dos indicadores ao longo de 2022, destacando os homicídios. O comandante do Comando Regional de Policiamento Ostensivo da Região Sul (CRPO Sul), tenente-coronel Cláudio de Azevedo Goggia, detalhou algumas das ocorrências de homicídio e o atendimento da BM, bem como as ações de policiamento para coibir a criminalidade.

Segundo a delegada Lígia Marques Furlanetto, titular da 7ª Delegacia de Polícia Regional do Interior (DPRI) de Rio Grande, o trabalho tem sido dedicado à elucidação dos crimes para que a cidade volte a apresentar expressiva queda nos índices, como ocorreu em 2021, quando o município passou quatro meses sem homicídios, sendo três consecutivos (maio, junho, julho e outubro). A intenção é unir as forças de segurança para gerar esses resultados.

Comentários CORRIGIR TEXTO
CONTEÚDO PUBLICITÁRIO