Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR |
SAÚDE Notícia da edição impressa de 09/05/2022. Alterada em 09/05 às 03h00min

São Gabriel começa a atender pacientes oncológicos pelo SUS

Habilitação da Santa Casa deve beneficiar cerca de 260 mil pessoas

Habilitação da Santa Casa deve beneficiar cerca de 260 mil pessoas


/Amanda Chagas Hickmann/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O Centro de Oncologia Marina Ramos, da Santa Casa de Caridade de São Gabriel, passa a ser oficialmente um estabelecimento de saúde credenciado nos serviços de alta complexidade do Sistema Único de Saúde (SUS).  Serão 11 postos de tratamento para atender, além dos pacientes da cidade, os municípios de Alegrete, Manoel Viana, Rosário do Sul, Sant'Ana do Livramento e Santa Margarida do Sul beneficiando cerca de 260 mil habitantes da região.

Atualmente, os pacientes oncológicos que dependem do sistema público de saúde são obrigados a se deslocarem até o município de Uruguaiana, a 300 km de São Gabriel, o que corresponde a cerca de oito horas na estrada entre ida e volta para receber o tratamento. Em alguns casos, dependendo do tipo do tumor, o procedimento é realizado em Santa Maria.

"Esta é, sem dúvida, uma conquista para os gabrielenses e região. Os pacientes oncológicos poderão ter um atendimento de qualidade no município, perto das suas casas. A exaustão do tratamento é algo evidente e teremos a oportunidade de diminuir essa dor nas famílias. Foram anos de batalha junto ao governo federal, mas agora é hora de celebrarmos", ressalta o prefeito, Lucas Menezes.

O Centro de Oncologia foi inaugurado em 2019, com atendimento apenas a pacientes particulares, convênios e credenciados do IPE Saúde. Desde 2016, os gestores municipais vinham articulando junto ao Ministério da Saúde o credenciamento ao SUS. Em dezembro do ano passado, foi publicado no Diário Oficial da União a portaria que habilitou a unidade, mas apenas agora o serviço começa a ser oferecido no sistema público.

A instituição contará com orçamento anual de R$ 4,7 milhões, que passa a ser acrescentado ao limite de alta complexidade do Estado, sob responsabilidade da Secretaria Nacional de Atenção Especializada em Saúde. A gestão das vagas será controlada pela Secretaria Estadual de Saúde

Comentários CORRIGIR TEXTO
CONTEÚDO PUBLICITÁRIO