Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR |
MEIO AMBIENTE Notícia da edição impressa de 10/06/2021. Alterada em 10/06 às 03h00min

Santa Cruz do Sul lança projeto para a separação do lixo

Contêineres foram instalados na região central da cidade; cooperativa de catadores é contrária à iniciativa

Contêineres foram instalados na região central da cidade; cooperativa de catadores é contrária à iniciativa


/Guilherme Neuhaus/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A prefeitura de Santa Cruz do Sul lançou, quarta-feira (9), o projeto Recicla Santa Cruz, em parceria com a Conesul Soluções Ambientais. Em uma fase de testes, quatro contêineres, na cor laranja, estão sendo instalados hoje em pontos estratégicos da região central da cidade, exclusivamente para o descarte de materiais recicláveis.

A iniciativa pretende aperfeiçoar o descarte de materiais como papel, papelão, vidro, metais e plásticos, promovendo um maior engajamento da população com a questão da separação do lixo e do descarte correto. Em Santa Cruz do Sul, a coleta seletiva hoje é fonte de trabalho e renda para 55 famílias. Ao se transformarem em matéria-prima para novos produtos, esses materiais deixam de ser uma fonte poluidora, contribuindo para a preservação do meio ambiente.

Os contêineres laranjas estão sendo instalados ao lado dos verdes, que já são destinados ao lixo orgânico. Diferente desses, os laranjinhas contam apenas com uma abertura para que as pessoas possam depositar os materiais. A tampa não pode ser levantada manualmente e portanto não há como ter acesso ao interior, o que vai impedir que os materiais sejam retirados e espalhados nas calçadas, como hoje muitas vezes ocorre pela ação de papeleiros nos contêineres verdes.

Também diferente da coleta automatizada, em que os contêineres verdes são esvaziados no próprio local com o auxílio dos braços mecânicos do caminhão responsável pela coleta, os laranjas terão que ser recolhidos e levados até o local de transbordo. Depois eles são novamente colocados no espaço a eles reservado. Todo o conteúdo será destinado à Cooperativa de Catadores e Recicladores de Santa Cruz do Sul (Coomcat), responsável pela coleta seletiva na cidade.

Na avaliação do secretário municipal de Meio Ambiente, Saneamento e Sustentabilidade (Semass), Jaques Eisenberger, a questão de resíduos é uma preocupação constante. Ele ressalta que Santa Cruz do Sul conta com três modelos, a coletiva convencional, a seletiva solidária e a automatizada. "Já vínhamos notando a necessidade de ampliar e melhorar a coletiva conteinerizada e a coleta a seletiva. Os contêineres verdes, que são destinados aos orgânicos, estavam sendo utilizados para os mais diversos resíduos", observou.

O lançamento do programa, no entanto, gerou descontentamento. A Coomcat, em nota, manifestou posição contrária à implementação da tecnologia de contêineres de recicláveis. A cooperativa afirma que "luta pelo pagamento justo e prestação de serviços das catadoras e catadores e pela inclusão de famílias que sobrevivem da catação, gerando trabalho e renda e proporcionando que esses catadores tenham acesso a condições dignas de trabalho e benefícios sociais". Segundo a Coomcat, a implementação da tecnologia dos contêineres é "extremamente cara e excludente".

Comentários CORRIGIR TEXTO
Av. João Pessoa, 1282 - Farroupilha
Porto Alegre - RS - CEP 90040-001
Fone (51) 3213.1300