Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR |
PESCA Notícia da edição impressa de 07/05/2021. Alterada em 10/05 às 11h44min

Comissão da Assembleia Legislativa debate consequências da presença de palometas em áreas do Rio Jacuí

Pesca precisou ser interrompida por conta dos predadores

Pesca precisou ser interrompida por conta dos predadores


EMATER-RS ASCAR/DIVULGAÇÃO/JC
A invasão de palometas, popularmente conhecida como piranha, na Bacia do Rio Jacuí e suas consequências econômicas e ambientais foi debatida pela Comissão de Agricultura, Pecuária, Pesca e Cooperativismo da Assembleia Legislativa, em audiência pública virtual nesta quinta-feira. A atividade foi proposta atendendo a uma demanda da Câmara de Vereadores de Sobradinho.
A palometa é uma espécie de peixe de água doce, com caráter predador voraz e agressivo. A espécie tem dentes afiados e ataca outros peixes do mesmo ecossistema, causando desequilíbrio populacional animal. Sua presença na Bacia do Rio Jacuí é considerada uma invasão biológica.
 Conforme relatos do presidente da Câmara de Vereadores de Sobradinho, Valdecir Billian, e de representantes de Sindicatos de Pescadores de várias localidades ao longo da Bacia do Rio Jacuí, a proliferação do peixe carnívoro aumentou em uma velocidade impressionante nos últimos meses, provocando a paralisação da produção pesqueira da região. O fenômeno da infestação ocorre em rios das regiões Centro Serra e Quarta Colônia, atingindo também os rios Santa Maria e Vacacaí, na região da Fronteira Oeste. Ele fez referência à desativação de balneários turísticos decorrente da presença do peixe.
 O presidente da Federação dos Pescadores do RS, Gilmar Coelho, disse que a presença da palometa na Bacia do Rio Jacuí não é novidade. Ele afirmou, no entanto, que relatos de pescadores indicam a incidência bem maior do peixe. Ele culpou a construção de barragens sem preocupação com o ambiente natural pelo problema, ao impedir a desova e a diminuição populacional do dourado, principal predador do peixe. Ele relatou, ainda, a dificuldade de sobrevivência de cerca de 60 famílias de pescadores do distrito de Santo Amaro, no município de General Câmara.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Av. João Pessoa, 1282 - Farroupilha
Porto Alegre - RS - CEP 90040-001
Fone (51) 3213.1300