Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR |
MEIO AMBIENTE Notícia da edição impressa de 04/03/2021. Alterada em 04/03 às 03h00min

Bugios morrem por febre amarela em Lagoa Vermelha

Após serem encontrados dois bugios mortos no interior do município de Lagoa Vermelha, a Vigilância Ambiental em Saúde confirmou que esses animais foram contaminados pela febre amarela. O resultado veio por meio de uma coleta encaminhada à 6ª Coordenadoria da Saúde, para realização de exames. Os macacos foram localizados nas comunidades de São Joaquim e Estância no começo do mês de fevereiro.
Conforme a coordenadora de Vigilância e Atenção em Saúde, Rachel Bombassaro, esses primatas servem como indicadores da presença do vírus no ambiente silvestre. Inclusive, eles adoecem e morrem depois que são picados pelo mosquito transmissor, o Haemagogus.
Humanos não vacinados são contaminados somente ao serem picados por esses mosquitos infectados. Por isso, segundo a coordenadora de vacinação no município, Malvina Lima, as pessoas que não possuem comprovação vacinal contra a febre amarela, são consideradas não imunizadas e devem ligar na unidade básica de saúde de referência. "A vacina contra a febre amarela é de rotina, por isso, é difícil ter pessoas que não estejam imunizadas. Porém, caso alguém não tenha sido vacinado, basta ligar para uma unidade de saúde", disse
Ela ainda explica que, em crianças, a primeira dose é aplicada aos nove meses, com um reforço aos quatro anos. A partir dos cinco até os 59 anos, quem não foi vacinado pode tomar apenas uma dose a imunização se estende para toda a vida.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO
Av. João Pessoa, 1282 - Farroupilha
Porto Alegre - RS - CEP 90040-001
Fone (51) 3213.1300