Pesquisa relaciona a desigualdade econômica com a Covid-19 - Jornal Cidades
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR |
CORONAVÍRUS Notícia da edição impressa de 19/10/2020. Alterada em 19/10 às 03h00min

Pesquisa relaciona a desigualdade econômica com a Covid-19

Estudo mostrou que em regiões cuja diferença é maior, a probabilidade de contrair a doença é elevada

Estudo mostrou que em regiões cuja diferença é maior, a probabilidade de contrair a doença é elevada


/PATRÍCIA COMUNELLO /ESPECIAL/CIDADES

Um estudo liderado por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande (Furg) relacionou os índices de desigualdade econômica ao aumento no risco de adoecimento e morte pela Covid-19. Para a tese, foram acessados os números sobre infecções e óbitos por Covid-19 dos dados oficiais brasileiros. Paralelamente, os pesquisadores coletaram informações sobre o grau de desigualdade econômica de cada estado, disponibilizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Por fim, os pesquisadores compararam essas taxas para observar se havia diferença no risco de infecção e morte pelo vírus em função do tamanho da desigualdade econômica do estado onde a pessoa vive. "Em estados com maior desigualdade econômica, as taxas de infecção e morte por Covid-19 foram maiores em todas as 12 datas incluídas, uma associação que se tornou cada vez mais forte com o tempo. Além disso, e o mais surpreendente, pudemos identificar que, apesar de haver agravamento da pandemia em todos os estados brasileiros no período avaliado, essa evolução foi mais acentuada/acelerada exatamente nesses estados mais desiguais", ressalta o pesquisador Lauro Demenech.

Os efeitos foram observados através de modelagens estatísticas temporais e espaciais, e se mantiveram mesmo quando levados em consideração aspectos como a densidade demográfica de um estado. O Rio Grande do Sul, por exemplo, é um dos estados brasileiros com menor desigualdade econômica, e, durante o período avaliado, apresentou alguns dos melhores índices no manejo da pandemia.

O estudo indica que todas as pessoas que vivem em regiões mais desiguais estão sob maior risco de infecção e morte pela Covid-19. "Apesar de outros estudos já terem identificado que pessoas em maior desvantagem socioeconômica têm maior risco de adoecer e morrer pelo novo coronavírus, o que argumentamos no artigo é que a desigualdade econômica exerce um efeito como se fosse a poluição do ar. Todos pagam uma 'taxa de saúde' por viver em uma sociedade poluída, assim como todos pagam uma 'taxa' por viver em uma sociedade desigual", afirma Lauro.

Comentários CORRIGIR TEXTO
Av. João Pessoa, 1282 - Farroupilha
Porto Alegre - RS - CEP 90040-001
Fone (51) 3213.1300